200141015_transporte_publico_van_alternativo_onibus_flaviopereira_9_de_12

Polícia prometeu aumentar atuação preventiva em pontos de ônibus

Arquivo/Meon

Após um início de ano com explosão no número de assaltos a ônibus em São José dos Campos, o Sindicato dos Condutores e representantes da Polícia Militar se reuniram, na tarde desta segunda-feira (5), para discutir medidas de segurança. A reunião aconteceu no CPI 1 (Comando de Policiamento do Interior).

No dia 16 de fevereiro, um cobrador foi morto durante tentativa de assalto a um ônibus no Jardim Imperial, zona sul da cidade.Nos primeiros meses de 2018, os casos mais do que triplicaram em relação ao mesmo período de 2017. De acordo com o sindicato, 20 ônibus já foram assaltados desde o início do ano.

Em 16 de fevereiro, cobrador foi morto durante tentativa de assalto a ônibus na zona sul da cidade

Mesmo com a comoção da categoria e opinião pública, após o episódio, outros três veículos já foram assaltados na cidade. Os crimes, de acordo com o sindicato, aconteceram nos bairros do Freitas e Costinha, na zona norte, e no bairro Colonial, na zona sul. Este último, com o mesmo motorista que dirigia o veículo onde o cobrador foi assassinado semanas antes.

“Os trabalhadores estão muito tensos com a atual situação. É um problema que havia diminuído bastante na cidade, mas que, agora, voltou com força para atormentar trabalhadores e passageiros”, afirma José Carlos de Souza, diretor do sindicato.

Policiamento

Durante a reunião, a polícia garantiu que vai reforçar as ações preventivas em pontos de ônibus e nos bairros onde acontecem o maior número de casos envolvendo assaltos.

Outras medidas, como um possível botão de pânico, que seria acionado pelo cobrador em caso de uma ação criminosa, também foram discutidos com a cúpula da PM.

“Fora os assaltos, ainda há diversas tentativas por parte de criminosos, que ameaçam os profissionais, quando não com armas de fogo, com facas”, afirma.

O sindicato promete novas manifestações, como a realizada no dia 17, quando a cidade ficou parte do dia sem transporte público, caso as medidas anunciadas pela polícia não diminuam o número de incidentes.

A Busvale, que reúne as três empresas de ônibus que atuam em São José, afirmou que não irá se pronunciar sobre a reunião entre PM e sindicato.

Leia Também