20140822_cavas_de_areia_aparecida_divulgacao

Mineradora é proibida de extrair cava em Aparecida

Divulgação

A Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) multou a Mineradora Morro Vermelho em R$ 68.750 por extração irregular de areia às margens do rio Paraíba, em Aparecida. Em vistoria na área explorada, técnicos detectaram mineração em um trecho de 2,75 hectares onde a empresa não possui licença ambiental.

No local também foram encontradas oito dragas em operação, quando o permitido seria duas. O caso foi denunciado por ambientalistas da ONG Água, de Guaratinguetá, em reportagem publicada em 25 de agosto no Meon.

A Cetesb informou que a Morro Vermelho não pode continuar a extrair areia no trecho de Aparecida e que foram aplicadas advertências pela utilização de equipamentos em desconformidade com a licença. Segundo a companhia, a mineradora terá um prazo -ainda não estipulado- para regularizar a situação.

Degradação
O ambientalista Marcos Alencar de Souza, presidente da ONG de Guará, diz a degradação da área avança a cada dia e prejudica a preservação da mata. "Estive no local e pude constatar que estão atuando de forma irregular, prejudicando o ecossistema. Eles [mineradores] vão deixar um passivo ambiental enorme em nossa região", afirma.

O gerente da Mineradora Morro Vermelho, Pedro Lara, não atendeu as ligações para comentar o asunto. Em entrevista anterior, quando o caso foi denunciado pelos ambientalistas, Lara havia informado que "diretores da empresa não deixam que nada seja feito fora da legislação.”