trabalhador_metalurgico_da_embraer_foto_pedro_ivo_prates_meon

Os metalúrgicos da Embraer aprovaram aviso de greve, em assembleia realizada nesta terça-feira (2), após impasse nas negociações da campanha salarial. 

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos,  a mobilização tem como principal objetivo pressionar a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), que negocia pela Embraer, a apresentar proposta de reajuste salarial e renovação dos direitos previstos na Convenção Coletiva. 

A Fiesp ainda não iniciou as discussões econômicas da Campanha Salarial e insiste em retirar direitos da Convenção Coletiva, como a estabilidade no emprego para trabalhadores lesionados. O grupo patronal também propôs a aplicação da terceirização irrestrita na Embraer e redução do adicional noturno. Os metalúrgicos rejeitaram a proposta.

“A proposta apresentada pela Fiesp é uma afronta aos trabalhadores e reflexo da reforma trabalhista, que abriu caminho para a retirada de direitos. O Sindicato deu todas as chances de negociação, mas a Fiesp se manteve intransigente. Agora os trabalhadores já deram o recado de que não aceitarão esses ataques”, afirma André Luís Gonçalves, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, em nota divulgada pelo sindicato.

A entidade não informou quais índices foram apresentados pela empresa nem qual a reivindicação dos trabalhadores.