A General Motors enviou comunicado aos trabalhadores da fábrica de São José dos Campos nesta quinta-feira (20) informando a suspensão parcial da produção na unidade.

A medida será adotada na próxima semana, nos dias 27, 28 e 29 de abril (quinta, sexta-feira e sábado), e no dia 2 de maio (terça-feira).

No comunicado, a montadora alegou que as paralisações –conhecidas como ‘day off’—serão adotadas “na tentativa de equilibrar os volumes [de produção] por alguns dias”.

A medida é anunciada em meio a um impasse nas negociações envolvendo uma possível suspensão dos contratos de trabalho da unidade (prática conhecida como layoff).

A GM alega que tem um excedente de 1.600 trabalhadores na unidade desde março e que a suspensão de contratos seria uma forma de adequar a produção à demanda do mercado.

O Sindicato dos Metalúrgicos cobra da montadora a garantia de estabilidade do emprego dos funcionários.

gm_2

Linha de produção da S10 na fábrica da GM

Arquivo/Meon

Cronograma

Segundo o comunicado enviado aos trabalhadores, a produção da unidade será paralisada totalmente apenas no dia 28. Nos demais dias anunciados, as atividades serão suspensas parcialmente.

Nos dias 27 e 28, a paralisação afetará todos os trabalhadores do 1º e do 2º turnos, inclusive áreas administrativas.

Nos dias 28 e 29, a medida valerá para todos os trabalhadores do 3º turno.

No dia 2 de maio, a medida valerá para todos os trabalhadores das linhas S10/Trailblazer, CCM, estamparia e injetores.

“Conforme comunicações já realizadas pela empresa, houve queda nos volumes de produção no complexo de São José dos Campos. Como a GM não conseguiu finalizar o acordo de layoff, está adotando day off na tentativa de equilibrar os volumes por alguns dias”, informou a empresa no comunicado.

A GM informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não comentará o assunto.

O Sindicato dos Metalúrgicos também não se pronunciou sobre o 'day off', uma vez que a medida não acarretará perda de empregos na fábrica.