Uma empresa de São José dos Campos desenvolveu um programa para auxiliar os adeptos de atividades físicas ao ar livre. A ideia é não apenas contabilizar calorias queimadas, ou distância percorrida, mas também fazer uma ponte entre os esportistas e profissionais da área.

"O problema hoje é que as pessoas passaram a se exercitar atrás de metas numéricas, por exemplo, começa a correr 5km e tenta melhorar o tempo, depois vai correr 10km e tenta melhorar nessa distância, mas as pessoas não sabem o que isso está fazendo com o corpo. Esse público não é preparado para isso e a nossa preocupação é como ele vai estar daqui a alguns anos se continuar correndo sem acompanhamento de um profissional", afirma o personal trainer, Alan Zonzini.

Pessoas se exercitando em praça de São José dos Campos (Divulgação)

Pessoas se exercitando em praça de São José dos Campos 

Divulgação

O empresário Jésus Lopes, percebeu que mesmo com acompanhamento profissional, a troca de informações era um pouco complicada. "Eu recebia o programa da minha atividade por e-mail e tirava foto, ou colocava no meu celular, mas não era tão fácil de ler. Cada um dá o seu jeito, mas não tem uma solução fácil pra isso ainda. E durante conversas surgiu a ideia de desenvolver um programa que fizesse isso", disse.

Como Lopes é sócio do Éder Costa na empresa Zigotto, que desenvolve softwares sob medida, eles se reuniram e resolveram criar o programa para atender todas as dificuldades encontradas.

"A gente não quer um programa que a pessoa precise aprender a usar, tem que ser algo bem intuitivo, que mesmo uma pessoa que tem dificuldade com tecnologia consiga usar. Agora na fase de teste, nós temos desde adolescentes de 15 anos até uma senhora de 76 anos", conta Costa.

O programa está no final da fase de teste, e deve ser lançado agora em março. Segundo os desenvolvedores, as assessorias esportivas terão o controle de frequência dos alunos, evolução individual de cada um, além de controle administrativo.