parque_raupp

Diretor do Parque Tecnológico apresentou dados sobre a fusão com o Cecompi

Cláudio Capucho/PMSJC


O Parque Tecnológico São José dos Campos e o Cecompi (Centro para a Competitividade e Inovação do Cone Leste Paulista) anunciaram nesta terça-feira (24) que fundiram suas atividades. Participaram do evento os diretores do Parque e do Cecompi, representantes de empresas, associações, secretários municipais, vereadores e o prefeito Carlinhos Almeida.

Dessa forma, a região do Vale do Paraíba passa a sediar o maior complexo de pesquisa, inovação e empreendedorismo do Brasil, com um total de 304 empresas, entre incubadas, residentes e seis instituições de ensino e pesquisa.

A fusão vai permitir que o polo receba R$ 3 milhões a mais em seu orçamento anual - de R$ 15,6 milhões para R$ 18,6 milhões. O quadro de funcionários subirá de 23 para 43. O volume de recursos captados para investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) sobe de R$ 11 milhões para R$ 22 milhões.

Para o diretor-geral do Parque, Marco Antonio Raupp, objetivos comuns ajudaram na concretização da fusão. "A união do Parque Tecnológico com o Cecompi teve motivação natural, pois ambas instituições têm o mesmo objetivo: promover o empreendedorismo inovador e a competitividade das empresas".

Além de empresas de ponta como a Boeing e a Embraer, o Parque conta originalmente com três centros empresariais, cinco centros de desenvolvimento tecnológico e três laboratórios. Abriga também o Parque das Universidades, onde estão instaladas unidades da Fatec, da Unesp e da Unifesp.

O Cecompi vai transferir para o parque cinco programas: o Arranjo Produtivo Local em Tecnologias da Informação e Comunicação, o Cluster Aeroespacial e Defesa, o Escritório de Negócios, as três unidades das Galerias do Empreendedor e o Programa Municipal de Incubadoras de Empresas.