gerdau1

Executivos da joint venture Gerdau Summit reunidos em Pindamonhangaba

Divulgação


A Gerdau de Pindamonhangaba lançou esta terça-feira (28) a joint venture Gerdau Summit, formada com as companhias japonesas Sumitomo Corporation e The Japan Steel Works (JSW). Os investimentos previstos são de R$ 280 milhões já para este ano, além da criação de 100 novos postos de trabalho exclusivamente para a unidade da região.

Segundo a Gerdau, ainda não há previsão de quando a empresa iniciará o processo de seleção, já que o novo empreendimento acontecerá em duas etapas, mas a fase é de crescimento. A empresa também informou que a unidade de Pindamonhangaba foi a escolhida por ser umas das principais da empresa no país e estar localizada num importante polo tecnológico.

A produção de peças para o setor eólico está prevista para começar no início de 2018. No entanto, segundo a empresa, já estão sendo produzidas em Pindamonhangaba peças personalizadas para o setor de açúcar, álcool e cilindros de laminação para a indústria do aço e do alumínio.

Outra boa notícia para a unidade do Vale é que a empresa reativou recentemente um laminador de barras redondas, cujas atividades estavam temporariamente paralisadas em razão da menor demanda da indústria automotiva, que estaria retomando o crescimento. O laminador tem capacidade instalada de 500 mil toneladas/ano. Atualmente, todos os três laminadores da usina de Pindamonhangaba estão em operação. 

Joint venture
A Gerdau detém 59% de participação na empresa e está realizando o aporte, principalmente, por meio dos ativos já existentes para produção de cilindros. Já a participação da Sumitomo é de 39% e da JSW, de 2%.

Com o início da operação da joint venture, a Gerdau espera crescer, até 2020, cerca de 70% na produção de peças forjadas para o setor eólico, peças fundidas e forjadas para outros segmentos, e cilindros de laminação.

A Sumitomo Corporation e a The Japan Steel Works (JSW) são empresas com vasto conhecimento do mercado mundial de energia eólica e domínio tecnológico do processo produtivo de componentes para o setor.

As perspectivas para o setor eólico no Brasil são promissoras. Segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica, o país possui cerca de 430 parques eólicos e, até 2020, deverão ser construídos mais 330 parques. A capacidade eólica instalada atual no Brasil responde a 7% (10,74 GW) da matriz de energia elétrica. Em 2020, deverá alcançar 11% de participação (18,7 GW).

Gerdau
A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma das principais fornecedoras de aços especiais do mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro, atividades que ampliam o mix de produtos oferecidos ao mercado. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço. As ações das empresas Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madri.