1dp_sao_sebastiao

Caso foi registrado como homicídio culposo, quando não há intenção de matar

Reprodução

Pai e filho brincavam com uma espingarda de chumbinho, na tarde de segunda-feira (22), por volta das 16h30, quando um disparo acidental pelo adolescente, de 17 anos, atingiu o tórax do homem, de 40 anos, que morreu à caminho do hospital, no Barra do Una, em São Sebastião.

De acordo com a Polícia Civil, o pai teria autorizado que o jovem pegasse a arma de pressão para brincar com outros três amigos de tiro ao alvo, em latas de alumínio.

Em depoimento, o filho declara, que no momento em que o pai pediu para que os meninos parassem com o jogo, ele acreditou ter travado a arma e decidiu “brincar” com o pai, simulando disparos contra a vítima. Nesse momento, ele teria apertado o gatilho e atirando acidentalmente.

A polícia informa, que a mãe teria tentando estancar o sangue e realizar os primeiros socorros. Familiares ajudaram no resgate até ao pronto-socorro, mas a vítima teria chego ao hospital próximo das 17h30, não resistindo aos ferimentos em razão de uma hemorragia e uma parada respiratória.

A equipe médica confirmou aos policiais que o projétil de chumbinho teria atravessado as costelas e atingindo o coração da vítima.

O autor do disparo ainda declarou aos policiais, que ambos eram caseiros da residência onde ocorreu o incidente e que era comum pai e filho brincarem com a espingarda de chumbinho no terreno.

O caso foi registrado como homicídio culposo, quando não há intenção de matar. O adolescente foi solto após prestar depoimento, e deve responder o crime em liberdade, e a arma foi apreendida pela perícia da Polícia Técnica Científica.