20150118_maria antonia_sjc_(Foto: Arquivo Pessoal)

Maria Antônia termina o ensino médio em abril deste ano

Foto: Arquivo pessoal

A senhora Maria Antônia de Oliveira Ferreira, de 69 anos, chegou em São José dos Campos há 18 anos e desde então, mora na cidade. Natural de Londrina (PR), Maria iniciou em 2012 uma nova fase em sua vida e resgatou um antigo sonho, que ainda estava vivo dentro do seu coração: estudar.

"Estou terminando o ensino médio, faltam apenas três matérias, acredito que termine em abril, nesse primeiro semestre. Com essa idade eu resolvi estudar e se Deus quiser, se eu estiver com saúde e tiver força, eu vou fazer faculdade e realizar esse sonho. Eu amo estudar", diz Maria que mesmo abalada com o falecimento do marido em 2013, com quem foi casada por 44 anos, continuou nos estudos.

"Já era pra ter concluído o ensino médio, mas meu marido ficou doente, tive que tirar uma licença e vou terminar nesse primeiro semestre. Queria começar a faculdade em fevereiro, mas começo em agosto, sem problema", conta Maria que mora no Jardim Dom Pedro II, região sul da cidade e estuda na Vila Cristina, região norte.

"Vou de ônibus, as vezes vou de manhã e as vezes a tarde. Funciona assim, você assiste as aulas, palestras, estuda em casa e faz a prova. Lá você também tira dúvidas e os professores são ótimos, eles ensinam muito bem, a escola é muito boa, o método é muito bom e a gente estuda mesmo. Tenho tirado notas boas graças a Deus", explica.

Segundo a moradora de São José, a vontade de fazer uma faculdade é antiga, mas foi interrompida no início do casamento. "Quando eu era jovem queria fazer o segundo grau pra fazer a faculdade. Mas aí eu me casei, meu marido já tinha uma profissão, em seguida, vieram os filhos e tive que cuidar da casa", conta Maria que tinha o sonho de fazer Direito.

"Lá atrás eu queria fazer Direito, tinha muita vontade, mas naquele tempo tinha muita censura e preconceito. O filho do patrão do meu pai me disse não faz Direito porque você vai ficar sozinha no meio de homens, naquele tempo era difícil", diz Maria que agora está balançada por outro curso.

"Tem dois cursos que eu ainda estou pra resolver, Direito ou arquitetura, provavelmente vai ser arquitetura porque eu tenho um filho que faz engenharia e é construtor e vamos ver se conseguimos trabalhar juntos, pelo menos alguns anos aí né [risos]", conta Maria que teve nos filhos um apoio extra para iniciar os estudos.

"Meus filhos fizeram muita pressão pra eu voltar a estudar. Quando eu tirar o diploma vou chamar eles lá na frente e vou entregar pra eles, eles merecem esse troféu", diz Maria. "Mas foi muito bom voltar a estudar, é bom pra mente, autoestima, pra conhecer pessoas novas".

"Hoje em dia está muito fácil estudar e as pessoas não querem, hoje você tem acesso pela internet. Hoje em dia a pessoa faz o primeiro grau, depois o ensino médio e fala: terminei. Como assim terminou? Você já fez uma faculdade? Então não terminou [risos]", diz.

"Tenho duas amigas que eram faxineiras e já tinham o segundo grau. Aí inventaram de fazer Pedagogia e com alguns meses que estavam estudando prestaram concurso na prefeitura e passaram. Deixaram de ser faxineira, a qualidade de vida melhorou, ganham mais, então é muito bom", finaliza Maria que em abril deste ano completa 70 anos.