O ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, assinou o plano de outorga específico do Aeródromo, na manhã desta segunda-feira (17), no Aerovale, em Caçapava. Segundo o presidente do empreendimento, Rogério Penido, o primeiro avião vai decolar da pista no dia 30 de maio, deste ano. O Plano Geral de Outorga estabelece as diretrizes e modelos para a exploração de aeródromos civis públicos, de acordo com a Política Nacional de Aviação Civil.

O pedido de autorização para exploração de aeródromo civil público foi encaminhado pelo Aerovale à Secretaria de Aviação Civil em 30 de agosto do ano passado. Na época, o empreendimento já possuía todas as licenças governamentais e, em novembro, recebeu do Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) a liberação. Hoje o plano foi assinado.

Além do ministro e presidente do Aerovale, participaram da cerimônia: empresários, políticos e autoridades. Entre eles, o coronel aposentado da aeronáutica, Ozires Silva, o prefeito de Caçapava, Henrique Rinco (PSDB), e o Deputado Estadual, Hélio Nishimoto (PSDB).

Antes da cerimônia, Penido acompanhou o ministro Moreira Franco e Ozires Silva, para uma visita técnica às obras do empreendimento, que será o primeiro centro empresarial com um aeroporto próprio da América Latina. Para Ozires Silva, a iniciativa é ousada e deve servir de exemplo. "Nós temos uma aviação muito menor do que precisamos, apenas 120 cidades brasileiras tem transporte aéreo regular, em 5.500 municípios", disse ele.

Segundo o Ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, o estado de São Paulo é onde existe uma demanda muito grande para vôos executivos e helicópteros. "O Aerovale está abrindo a possibilidade de atender uma demanda que está estrangulada na cidade de São Paulo", disse ele.

"É um empreendimento que vai trazer muitos recursos, o nosso orçamento dobrará com certeza, o Aerovale vem trazendo outros investidores para a cidade", disse o prefeito de Caçapava, Henrique Rinco.

A obra está na fase final de terraplanagem e o local vai contar com uma pista de pouso de 1.550 metros, além de um condomínio com áreas aeronáutica, industrial e comercial. Um serviço de táxi aéreo também já foi definido, e será feito pela Helivale, empresa de táxi aéreo.