capotamento_onibus_s_seba

Ônibus saiu de Itanhaém, no Litoral Sul, e seguia para Ilhabela

Divulgação/Corpo de Bombeiros

O motorista do ônibus que tombou na rodovia Rio-Santos em São Sebastião na manhã de sábado (30), que havia sido preso no dia do acidente, foi liberado após audiência de custódia no domingo(1). Ele responderá por homicídio culposo – quando não há intenção de matar – e lesão corporal. Uma menina de 13 anos morreu no acidente.

De acordo com a Polícia Civil, o motorista do ônibus havia sido preventivamente no sábado. Ele teria falado à Polícia que foi contratado para fazer aquele transporte e que teria perdido o controle do veículo por falhas nos freios.

O ônibus levava o nome da empresa Transportes Grandino que informou não ser responsável pelo transporte porque teria vendido o veículo em dezembro de 2015. A Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) informou que a atual proprietária do ônibus “não tem autorização legal do órgão para o transporte de passageiros”.

Um dos sócios da empresa teria prestado depoimento neste domingo. A Polícia não divulgou o conteúdo do depoimento e continua apurando as causas do acidente.

O Meon tentou localizar os proprietários da empresa responsável pelo ônibus, mas não teve êxito até o momento.

       

O acidente

     

Uma pessoa morreu e outras 12 ficaram feridas após um ônibus tombar na rodovia Rio-Santos na manhã do último sábado (30), em São Sebastião. O acidente aconteceu por volta das 7h40.

O ônibus levava 46 pessoas do Rugby Athenas que estava indo para a disputa de um campeonato em Ilhabela. Entre os passageiros, eram 41 jovens, com idade entre 13 e 20, três técnicos da equipe e dois filhos de um dos membros da comissão técnica.

O acidente aconteceu na altura do km 157, na pista leste da rodovia. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o ônibus partiu de Itanhaém, no Litoral Sul de São Paulo.

Uma adolescente de 13 anos morreu no local, após ficar presa nas ferragens. Duas pessoas foram resgatados em estado grave e encaminhadas ao hospital pelo helicóptero Águia.

De acordo com a Prefeitura de São Sebastião, 12 pessoas foram atendidas no Hospital de Clínicas de São Sebastião, Duas delas passaram por cirurgia ortopédica, três tiveram alta e sete continuam em observação, sendo que três estão em observação na Unidade de Pronto Atendimento de Boiçucanga e 26 recebem tratamento psicológico e assistencial no Cras (Centro de Referência de Assistência Social) de Boiçucanga.

Uma das vítimas foi transportada pelo helicóptero Águia, da Polícia Militar, para o Hospital Municipal de São José dos Campos.