tabletes_sjc_3300

O Programa Escola Interativa teve o investimento de R$ 13,7 milhões

Cláudio Vieira/PMSJC

Durante uma ação de vistoria, que teve início já na primeira semana do novo governo, a Prefeitura de São José dos Campos encontrou 3.300 tablets sem condições de uso. Os equipamentos são parte do Programa Escola Interativa, criado pelo ex-prefeito Carlinhos Almeida. Os equipamentos foram encontrados no almoxarifado da prefeitura, que pretende encaminhá-los para a avaliação do fabricante. O prejuízo seria de 2,4 milhões.

Os 3.300 tablets foram encontrados após uma vistoria nos prédios da prefeitura. Os aparelhos, que não apresentam condições de funcionamento, foram recolhidos em diversas escolas e encaminhados para o almoxarifado. O governo de Felicio Ramuth vai solicitar ao fabricante uma análise técnica para avaliar se é possível o conserto dos equipamentos.

O Programa Escola Interativa teve investimento de R$ 13,7 milhões na compra de 20 mil tablets, distribuídos entre alunos do 6º a 9º ano da rede municipal durante o governo do ex-prefeito Carlinhos Almeida.

O ex-secretário de Educação da administração PT, Luís Carlos Lima, enviou nota sobre o assunto: 

A primeira etapa do programa Escola Interativa trabalhou o conceito da inclusão digital plena, com a cessão de um tablet por aluno. A partir da avaliação de sua eficácia, o programa foi ajustado para que tais equipamentos ficassem na escola, com uso programado pelos professores quando a prática pedagógica lançasse mão dos tablets. Com isso a Prefeitura deixou de entregar um tablet por aluno pois seu uso pedagógico mais eficaz mostrou-se na aplicação coletiva.

Os equipamentos quebrados são decorrentes do uso cotidiano e do transporte por parte dos alunos. Qualquer pessoa que possui tablet, smartphone ou notebook sabe que estes equipamentos estão sujeitos a sofrer quedas e quebras. Sendo um programa inovador, a quantidade de equipamentos quebrados está dentro do esperado. É preciso lembrar que o programa está ativo desde 2014. As quebras verificadas contribuíram para a mudança do programa a partir de 2015.

De todo modo, o tablet é elemento secundário no programa, cujo cerne é trazer a sala de aula para o século da informação, com recursos digitais, como as lousas interativas que se mostraram de altíssima eficiência, desenvolver a capacidade criativa dos alunos e garantir a atualização dos professores. Para isso o governo Carlinhos investiu em parcerias com instituições como o ITA, Unifesp e Fundação Lemman. Os alunos participaram de oficinas de programação e acessaram o maravilhoso mundo da criação de jogos digitais, inclusive criando o Sanja Runner. A postura do ataque ao detalhe é própria de quem quer acabar com o principal.

 A bancada dos vereadores do PT em São José dos Campos também enviou uma nota ao Meon, criticando as ações tomadas pela gestão de Felicio Ramuth. "É preocupante notar que a energia do novo governo está concentrada em criar conflitos ao invés de manter a cidade funcionando".