aguilar_junior_12

Aguilar Junior é alvo de ação

Divulgação

O PSDB de Caraguatatuba entrou com uma ação na Justiça Eleitoral para pedir investigação contra o prefeito eleito Aguilar Junior (PMDB) e o vice Eugênio de Campos Júnior. Na ação, os advogados do partido pedem a impugnação do resultado das urnas e apresentam ‘documentos comprobatórios, de promessa do fim da cobrança da taxa de condomínios nos bairros ‘Nova Caraguá’ e ‘Jetuba’, construídos por meio do Programa Minha Casa Minha Vida.

Aguilar conseguiu 25.138 votos (42,50%) e o seu principal concorrente na eleição, Gilson Mendes (PSDB), ficou com 25.101 votos (42,44%). A atual administração é comandada pelo prefeito Antônio Carlos da Silva (PSDB).

No documento, o partido informa que o programa habitacional não prevê a desconstituição do condomínio, pois o empreendimento foi aprovado com a característica de ser condomínio fechado e houve falsa promessa na campanha. “Os candidatos entregaram em cada unidade condominial uma propaganda eleitoral em forma de folder prometendo o ‘fim da taxa de condomínio’, três dias antes das eleições, o que pode ter induzido a diferença de 37 votos no resultado das urnas e iludido no mínimo 2.000 eleitores”, segundo a nota.

A assessoria de imprensa do candidato lançado pelo partido, Gilson Mendes, informou que a gravidade da promessa levou os moradores do residencial ‘Jetuba’ a se negarem a retirar os boletos da taxa condominial sob a argumentação de que ‘o candidato eleito disse que não era mais obrigatório o pagamento das taxas.

Outro lado
Em nota oficial enviada ao Meon, a assessoria de imprensa do prefeito eleito pelo PMDB, Aguilar Junior, afirma que ‘é inconcebível uma família de baixa renda, que tem como mensalidade da casa própria R$ 24 ter que pagar uma taxa de R$ 40 para ter os serviços que são de obrigação do município em todos os outros bairros'. “Vamos conversar com a Caixa para resolver essa questão. Quanto ao processo, nossos advogados já estão entrando com a defesa e vamos aguardar o juiz se pronunciar. De resto tudo o que for falado é somente especulação”, disse Aguilar por meio de nota.

Decisão
Até o fim da semana, o juiz eleitoral Gilberto Alaby Soubihe Filho notificará os requeridos a apresentar defesa em cinco dias. Se for comprovado o ‘abuso de poder’, ‘promessa eleitoral’ e ‘compras de votos’, a Justiça Eleitoral poderá impugnar o resultado das urnas e promover nova eleição.

A assessoria de imprensa da Caixa Econômica Federal informou que a administração do condomínio dos empreendimentos do MCMV é responsabilidade dos moradores e síndico eleito por Assembleia Geral, quando é o caso.