miopia

A miopia é um distúrbio visual que distorce o que é visto de longe

Arquivo/Meon

Navegar entre as diversas telas que cercam o dia a dia já virou rotina. As pessoas transitam do celular para o computador, tablets, telas com jogos de videogame ou para um programa de televisão, isso quando não fazem tudo ao mesmo tempo. Todas as idades estão sendo bombardeadas de informações visuais. Mas, será que isso não afeta a saúde dos olhos?

O grande problema desses dispositivos é que eles exigem a fixação do olhar nas telas, o que diminui a frequência com que piscamos, prejudicando a lubrificação e deixando os olhos irritados, segundo especialistas. Além disso, quando a distância dos olhos para o aparelho é muito curta, o esforço de acomodação é maior. 

“Existem estudos que relacionam a luz azul violeta emitida por celulares, tablets, computadores e TVs de led a um aumento da incidência de DMRI (Degeneração Macular Relacionada à Idade)”, explica Fernanda Chimello Takay, oftalmologista do Ambulatório Médico de Especialidades de São José dos Campos, unidade da Secretaria de Estado da Saúde gerenciada em parceria com a SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina). 

Leia Também

A doença é causada pelo envelhecimento da região central da retina, e afeta a visão central tanto para longe como para perto, podendo levar à cegueira. 

Mas, para não ter problemas, o cuidado deve começar desde cedo. A preocupação maior é com as crianças, que estão passando muito tempo em frente às telas, e cada vez mais cedo, com dois ou três anos de idade. A recomendação da Academia Americana de Pediatria é de que bebês até dois anos não devem ter nenhuma exposição. Dos dois aos cinco anos, o uso deve ser limitado a uma hora por dia, e a partir dos seis anos, cabe aos pais determinar quanto tempo é ideal.

Miopia

A miopia é um disturbio visual que distorce a imagem do que está longe dos olhos. O aumento da sua incidência em crianças está chamando a atenção de especialistas. A doença tem um fator genético, mas também está relacionada ao aumento da atenção visual em atividades realizadas próximas aos olhos, e um menor número de atividades ao ar livre, conforme explica Takay.

O distúrbio geralmente é diagnosticado entre os oito e 12 anos. Mau desempenho escolar, dificuldade de concentração e desinteresse em atividades podem ser sinal de que há algo errado com a vista.

Leia Também

Síndrome da visão de computador
Quem fica muito tempo exposto a dispositivos como o computador, como é o caso de quem trabalha em escritórios, ou até faz cursos online, acaba tendo dores de cabeça, ressecamento dos olhos, entre outros sintomas que caracterizam a  Síndrome da Visão do Computador.

Esse cansaço é associado a horas seguidas de atenção visual para perto, e pode ser aliviado de forma simples. A oftalmologista dá a dica: faça pausas a cada 30 a 45 minutos. “Durante essas pausas, olhe para uma janela bem distante para relaxar a musculatura ocular e pingue colírios lubrificantes, pois piscamos menos quando estamos ao computador. Vale também abrir as janelas e regular a luminosidade local”, afirma Fernanda Chimello Takay.

O processo também vale para as crianças. A especialista ainda ressalta que durante atividades de exposição, é preciso a fiscalização de um adulto, já que elas podem não perceber o desconforto e permanecer por muitas horas na frente da tela, sem descansar a visão.

Consultas de rotina
Para a prevenção e cuidado com a saúde dos olhos, Fernanda Chimello Takay indica que seja feita uma visita ao oftalmologista pelo menos uma vez por ano, caso não haja nenhuma doença ou irritação grave.