natal_iluminado8

Natal Iluminado: Casa do Papai Noel na Praça do Sapo, em São José

Arquivo/Meon


A segunda parcela do 13
º salário ainda não entrou na conta do trabalhador mas já tem destinação certa: o rendimento extra será usado para quitar dívidas ou para comprar presentes de Natal.

É isso que aponta a pesquisa feita pela ACI (Associação Comercial e Industrial) de São José dos Campos, em parceria com a Unitau (Universidade de Taubaté), por intermédio da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação).

De acordo com o levantamento, 37,9% dos entrevistados vão usar o 13º salário para pagar dívidas e 33,7% vão utilizar o dinheiro para comprar presentes. Em terceiro lugar, representando 15,1%, aparecem os trabalhadores que pretendem aplicar o dinheiro na poupança (15,1%).

As outras citações foram viajar (9,4%), usar na reforma ou na construção da casa (2,1%), e apenas 1,9% utilizará o 13º salário para comprar móveis, eletrodoméstico-eletrônicos e produtos de modo geral (1,9%).

A pesquisa  ouviu 249 pessoas entre os dias 27 e 29 de novembro no centro de São José dos Campos (rua 15 e Calçadão da Rua 7) e nos shoppings CenterVale e Vale Sul. Segundo a ACI, a margem de erro da pesquisa é de 5 pontos percentuais, para mais ou para menos --o que não muda a tendência de gastos da maioria dos pesquisados.

Reflexo nas vendas

“Pagando dívidas ou comprando presentes, o importante é que a maior parte deste dinheiro estará em circulação no comércio. Isso é muito importante e anima os comerciantes”, disse o presidente da ACI, Humberto Dutra. 

Ele também espera um aquecimento nas vendas neste final de ano. “O dinheiro em circulação no comércio associado à criatividade e arrojo dos empresários de São José, que este ano investiram no Natal Iluminado, acredito que vamos ter um aumento entre 15% e 20% nas vendas, comparado ao Natal do ano passado”, afirmou Dutra. “Além dos moradores da cidade, a decoração vai atrair consumidores de cidades próximas. Está muito bonita”, completou.

A dona de casa Maria Inês dos Santos, que mora na zona sul de São José, disse que pretende ir ao centro da cidade com os dois filhos, de 6 e 9 anos, para ver a decoração.

“Disseram que está muito bonito. São José precisa disso mesmo, Natal é tempo de festejar e ver a vida mais bonita, com esperança”, disse. Ela disse que o 13º salário do marido vai ser usado para pagar dívidas. “Não vai sobrar nada, mas pelo menos um brinquedinho para as crianças tenho que comprar.”


Presentes

As lojas que vendem roupas devem se dar bem neste Natal. De acordo com a pesquisa da ACI, entre os consumidores que vão gastar o 13º com presentes de Natal, 45,9% pretendem comprar roupas, seguida da compra de brinquedos (22,9%) e calçados (12,7%).

Embora o maior número de consumidores afirme que planeja gastar até R$ 200 na compra de presentes de Natal (21,5%), uma parte proporcional dos entrevistados cita gasto acima de R$ 500 (20,9%). Outros 18,2% falam em compras entre R$ 200,1 e R$ 300 e 13,9% admitam compras entre R$ 400,1 e R$ 500.  O tíquete médio desse levantamento ficou acima do apurado na pesquisa anterior à liberação da primeira parcela do 13º, realizada no início de novembro (até R$ 200).

O levantamento ainda revela o comportamento do consumidor na hora de pagar. A forma de pagamento preferida é à vista (86,9%) e a maioria não abre mão da pesquisa de preços. Essa é a opção para 79,9%, contra 19,1% que disseram que vão optar pelos presentes mais baratos.

Quanto ao local preferido para as compras, 49,4% optam por lojas no centro da cidade  contra 34,7% que preferem os shoppings. As compras on-line ficaram na faixa dos 10,5%.