educacao_dos_filhos

Escola e família nunca estiveram tão próximas

Reprodução

Mudou a perspectiva de que os pais só mandam os alunos para a escola e que não estão interessados em saber como eles estão!

Escola e família nunca estiveram tão próximas. Se antes essa era uma relação distante e esporádica, hoje os pais têm contato quase que diário com as escolas de seus filhos. Depositam na instituição escolar a expectativa de um futuro de sucesso e cobram de perto o que consideram ser importante para a ascensão de suas crianças. No caso das escolas particulares, a cobrança chega a questões como: excesso ou falta de lições de casa e à percepção de não se sentirem ouvidos pelas escolas em suas queixas e reclamações.

Mas, ao esperar que a escola atenda a demandas individuais, a família não estaria subvertendo princípios do espaço escolar e coletivo ?

E, ao fazê-lo, quais seriam as consequências para o ambiente de ensino e para as próprias crianças ?

Como pano de fundo desse fenômeno, estão as representações da escola e das próprias crianças para as famílias. O fator fundamental para que os pais da classe média falem, hoje, com tanta propriedade de questões pedagógicas, concentra-se na criança e na vida das famílias. Em paralelo a esse reinado infantil, ocupando o centro das decisões familiares, o sucesso ou o fracasso dos filhos passou a ser visto pelos pais como resultado de suas ações e omissões.

Hoje, a família se culpa por um adulto que "não deu certo", o que também não acontecia no passado. Sobretudo para a classe média, a escolarização define a posição social que alguém terá no futuro, e a criança foi assumindo uma centralidade cada vez maior na vida familiar. Por tabela, a escola passou a ser importante para a família.

A expectativa de ascensão social por meio do ensino, tornou os pais das classes média e média alta "verdadeiros profissionais do acompanhamento escolar". O compartilhamento de papéis é um fator relevante para analisar a relação família-escola no atual contexto social, em que ambas as instituições dividem a responsabilidade pela educação de crianças e jovens.

Atualmente, uma série de funções, como a  transmissão de valores, é compartilhada entre a família e a escola. A única coisa que realmente não cabe à família é a transmissão do saber sistematizado da humanidade. Esse é o papel primordial da escola.