1_2_2

Letícia Zucco é estudante de Letras na Unicid

Arquivo pessoal

O termo Young – adults (traduz-se jovens - adultos) ganhou importante espaço no mercado editorial, mesmo com tantas discussões sobre a faixa etária para esse tipo de literatura, mas o fato é que diferente do que muitos ainda pensam, os livros escritos para jovens se desprendem do Infantojuvenil por tirar a ingenuidade dos protagonistas e tratar de temas mais adultos como, por exemplo, sexualidade, depressão, bullying, drogas, relacionamentos familiares e amorosos, suicídio, a busca pela própria identidade e entre outros.

A literatura jovem é aplicada em gêneros comuns de outras vertentes como ficção, suspense, terror, aventura e romances em geral e tem como público-alvo pessoas com idade entre 14-20 anos devido à idade dos protagonistas nos livros.

Surge a discussão da faixa-etária dos leitores quando se começa a notar no mercado editorial que os ‘’Young-adults’’ estão abrangendo mais pessoas (de 14 a 21, ou até de 15 a 30 anos), logo nota-se que apesar de serem idades bem distantes do protagonismo nas obras, é o tipo de leitura que está agradando também o público mais velho, acredito que por não existir idade para determinada leitura, para o leitor de hoje o que está em jogo é o gosto individual, identificação com a obra, tema e autor.

Jorge Oakim, editor da intrínseca, definiu o termo como ‘‘crossover’’ (cruzamento) que seria obras das mais variantes, já o escritor americano de livros juvenis, Chuck Wendig em m 2014 quando acendeu a discussão, definiu a situação num tweet ‘’Talvez adultos leiam ‘Young-adult’ porque bons livros são bons livros e eles podem ler coisas que não podiam na adolescência, porque elas não existiam. ’’

No meio de discussões entre selos, gêneros e idades, o mais importante é ler, ninguém pode te julgar pelo tipo de livro que lê comparado a sua idade, seja ele infantojuvenil, Young-adult, new adult ou ‘’crossover’’, cada um sabe o significado que um livro representa em sua vida e é responsabilidade somente sua absorver o que há de melhor em cada história. 

Autores consagrados de livros para jovens, Meg Cabot com a série "O Diário da Princesa", Suzanne Collins com ‘’Jogos vorazes’’, John Green com ‘’A culpa é das estrelas’’, J. K. Rowling com Harry Potter, alguns brasileiros como ThalitaRebouças, Paula Pimenta, Carina Rissi, Raphael Draccon, André Vianco, Eduardo Spohr e entre outros. Alguns escritores que caíram no meu gosto Gillian Flynn autora de ‘’Garota exemplar’’, Markus Zusak ‘’A menina que roubava livros’’, Pâm Gonçalves ‘’Boa noite’’, Harper Lee autora de ‘’O sol é para todos’’ e Stephen King ‘’O iluminado’’, esses são exemplos de autores consagrados no universo jovem da literatura.

Letícia Zucco, estudante de Letras na Unicid