ensino_digital

As novas gerações, comparadas às gerações adultas, são digitais e tecnológicas. Além disso, relacionam-se intensamente, comunicam-se e interagem numa velocidade surpreendente. Resolvem tudo simultaneamente em redes virtuais. Abrem-se mais, expõem seus perfis: o novo é bem vindo e o limite...que limite? Resposta: Mundo ao redor, sem fronteiras, melhor, todo planeta.

Pais, professores e chefes, não intimidam mais. Mas, em contrapartida, distanciam-se desses, pois não almejam conflitos, preservam-se. Ocupam todos os espaços possíveis: a rua, a escola, as redes sociais, etc.

Acompanhando naturalmente essas mudanças, o conhecimento também mudou... Encontra-se acessível a um toque de dedo em qualquer hora e lugar. Apresenta um novo ritmo de exploração, gerando mais produção e um crescimento vertiginoso. Todos têm acesso e verdades absolutas já não existem mais.

E a escola ? Não desenvolveu no mesmo ritmo, baseando-se ainda no conhecimento acumulado através da história dividido em disciplinas. Essas, depositadas na responsabilidade dos professores, provedores da tarefa de ensinar e formar cidadãos.

Isso leva-nos a refletir: vemos poucos jovens preparados para escolher o caminho na profissão e na vida; escutamos o desabafo dos professores quando afirmam que a escola não corresponde a seus projetos de vida.

Sendo assim, devemos apostar numa reinvenção da escola: conhecimento e experiência unidas para um novo sentido à educação, para formar plenamente nossas crianças, adolescentes e fortalecendo as famílias. Consequentemente, reinvenção do professor e do estudante também – aprender a aprender, aprender a ser, aprender a fazer e aprender a conviver!