Fundação Lia Maria Aguiar de Campos do Jordão é homenageada com a Medalha Arthur Azevedo no Prêmio Bibi Ferreira -  Arthur Nory 
(Fotos por Caio Gallucci)

Lia Maria Aguiar recebe homenagem das mãos de Arthur Nory, medalista olímpico

Caio Gallucci

O 4º Prêmio Bibi Ferreira, que premia os melhores profissionais do teatro musical do ano, aconteceu na última terça-feira, 20 de setembro. Entre os homenageados, a Fundação Lia Maria Aguiar, de Campos do Jordão, recebeu a Medalha Arthur Azevedo das mãos do medalhista de bronze da Olímpiada Rio-2016, Arthur Nory.

A responsável pela fundação, Lia Maria Aguiar, esteve presente na premiação e subiu ao palco junto de Luiz Goshima, gerente social e alunas que representaram as mais de 200 crianças e jovens que fazem parte do projeto de educação cultural.

“É um prazer imenso ter o trabalho desenvolvido pela Fundação Lia Maria Aguiar reconhecido no cenário nacional. A homenagem do Prêmio Bibi Ferreira, com a Medalha Arthur Azevedo, é mais uma das grandes conquistas que a Fundação vem colhendo ao longo de quase 10 anos de trabalho”, conta Goshima.

O trabalho da fundadora é focado em oferecer a jovens carentes uma oportunidade de desenvolverem o seu viés artístico em paralelo com o crescimento pessoal e educacional. 

Lia Maria utilizou os adjetivos felicidade e gratidão para descrever este momento de indicação a um dos maiores prêmios do teatro musical e a homenagem oferecida a ela e sua fundação. “É uma emoção incrível quando todo o suor e o esforço são recompensados em premiações como essa. Momentos como esse nos fazem acreditar que, cada vez mais, estamos no caminho certo em nossos projetos”.

Segundo o gerente social, o reconhecimento é dado através da dedicação de cada integrante, principalmente dos artistas frutos da fundação que inspiram novas gerações. “É ótimo ter o trabalho de nossa equipe sendo reconhecido em premiações especializadas. Esse tipo de prêmio nos faz pensar que estamos cada vez mais no caminho certo, promovendo a educação, a cultura e a solidariedade”, diz Luiz Goshima.

“Olhar para nossos alunos é ver a evolução de cada um, a cada dia, é uma emoção indescritível”, destaca Lia Maria Aguiar ao relembrar a história da fundação. “Olhamos para tudo isso, que vem acontecendo com grande emoção. Desde 2008, quando criamos a Fundação Lia Maria Aguiar, sabíamos que seria uma estrada tortuosa, mas que iria ser recompensadora, em cada momento”.

Fundação Lia Maria Aguiar de Campos do Jordão é homenageada com a Medalha Arthur Azevedo no Prêmio Bibi Ferreira (Fotos por Caio Gallucci)

Lia Maria Aguiar; fundadora, e Luiz Goshima; gerente social da FLMA

Caio Gallucci

Espetáculo
O teatro musical é uma vertente que caiu no gosto dos brasileiros e a FLMA aposta todo ano em uma produção para encerrar o ano letivo e levar para os palcos do auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, e também para São Paulo. Para este fim de ano, outros três novos espetáculos já estão previstos para apreciação do público. “Estamos finalizando os preparativos de “O Show 2” do núcleo de Teatro para o mês de novembro, e agora em outubro teremos apresentações de “Coppélia” e “Santimbancos” do núcleo de Dança, em Campos do Jordão”, antecipa Goshima.

Saltimbancos
Quando: 15 e 16 de outubro

Coppelia
Quando: 15 e 16 de outubro

O Show 2
Quando: 18,19 e 20 de novembro

Onde: Auditório Cláudio Santoro, Campos do Jordão
Mais informações: www.flma.org.br