2014_veiculo_roda_liga_leve_up_divulgacao_volkswagen

Alguns veículos já dispensam o componente ou se apresentam muchos

Divulgação

O motorista só costuma se lembrar do estepe em caso de emergência, quando um pneu fura durante uma viagem ou amanhece vazio. Mas a negligência com o pneu sobressalente pode custar caro - além do transtorno de ficar com o carro imobilizado na rua. Mesmo sem uso, ele deve ser calibrado periodicamente, para que esteja pronto quando for necessário. O ideal é calibrá-lo junto com os demais, semanalmente.

A rotina vai garantir a integridade do pneu, que, com pouca pressão por muito tempo, pode ressecar e não resistir ao uso quando for solicitado. Além disso, verificar o estepe periodicamente pode fazer o motorista perceber mais cedo um eventual furto do equipamento - a prática é mais comum em modelos com o estepe alojado fora do carro, o que também o deixa exposto a sujeira e intempéries.

Temporários
Muitos carros atuais possuem estepes temporários, mais finos. Eles ocupam menos espaço e são mais leves que os convencionais. Porém, diferentemente deles, não podem ser usados como quinto pneu permanentemente - o mesmo serve para modelos com aro menor que o das demais rodas. A utilização é apenas enquanto um novo não é providenciado.

Isso porque a recomendação, no geral, é rodar com o estepe temporário à velocidade de 80 km/h. Acima disso, passa a haver risco de o componente explodir.

Run Flat
Carros de marcas de luxo, como a BMW, vêm com os chamados pneus run flat, que podem rodar mesmo furados. Isso é possível graças às laterais mais rígidas, que mantém a sustentação mesmo se não houver ar.

A velocidade máxima é a mesma indicada para os temporários. Além disso, seu uso é limitado. Só podem ser usados por 80 quilômetros.

Alguns veículos já dispensam o componente
Não se surpreenda se, ao abrir o porta-malas, não houver nenhum estepe alojado ali. Muitos modelos importados hoje só vêm com um kit de reparo de emergência e dispensam por completo o pneu sobressalente. A medida economiza espaço e peso de um equipamento que raramente será usado, o que é particularmente útil em utilitários e esportivos, com rodas de grandes dimensões.

A aplicação do kit selante é simples: basta colocar o tubo do produto na válvula e encher o pneu novamente até a pressão indicada no manual do carro. Alguns veículo trazem um compressor, que funciona ligado na tomada 12V da cabine.

Outros, em vez do kit, têm um pneu de emergência que vem murcho, sendo inflado apenas quando for ser usado. Porém, a ausência do estepe pode trazer alguns inconvenientes. O kit selante só pode ser usado em furos pequenos. E tanto ele quanto o pneu sobressalente murcho têm limitação de velocidade: 80 km/h.

O kit selante está disponível para VW Touareg e Porsche Cayenne, por exemplo. Já as gerações antigas desses carros vinham com o estepe murcho.