Por Conteúdo Estadão Em Opinião

Fundos têm no semestre menor captação líquida desde 2002

Os fundos de investimento registraram uma captação líquida de R$ 8,415 bilhões em junho, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira, 3, pela Associação Brasileira de Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). No primeiro semestre, os fundos domésticos registram captação líquida de R$ 1,937 bilhão, a menor registrada desde 2002, quando o saldo foi resgate líquido de R$ 22,98 bilhões.

Na última semana, os fundos de investimento registraram resgate líquido de R$ 11,4 bilhões, sendo R$ 8,963 de fundos de curto prazo e R$ 2,018 bilhões em fundos de renda fixa.

Em junho, os fundos referenciados DI tiveram a maior captação, somando R$ 9,818 bilhões, enquanto os fundos renda fixa viram saídas líquidas de R$ 1,856 bilhão.

No semestre, a maior captação líquida aconteceu nos fundos referenciados DI, que atingiram R$ 24,538 bilhões. Os fundos renda fixa, por sua vez, foram os que registraram o maior regaste líquido, de R$ 23,783 bilhões.

Em termos de rentabilidade, os fundos de ações dividendos foram destaque, acumulando ganho de 4,97% no semestre. A modalidade Ações Ibovespa ganhou 3,22% no acumulado em seis meses, o Ações Ibovespa Ativo rentabilidade negativa de 0,39% e o Ações IBrX Indexado alta de 3,01%.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Conteúdo Estadão, em Opinião

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.