Por Conteúdo Estadão Em Brasil & Mundo

Filme italiano marca a volta de Kevin Spacey

Kevin Spacey foi escalado para um filme pela primeira vez desde que as acusações de agressão sexual contra o ator começaram a aparecer, há mais de três anos, e que gerou diversos processos judiciais, interrompendo sua carreira na tela.

O filme LUomo Che Disegno Dio (O Homem Que Desenhou Deus) é um longa-metragem italiano. Vanessa Redgrave está no elenco e a produção será dirigida por seu marido, Franco Nero, que alcançou a fama com o spaghetti western Django, de 1966, disse o coprodutor Louis Nero, acrescentando que Spacey, que interpretará um detetive, faz uma participação.

"Estou muito feliz que Kevin concordou em participar do meu filme. Eu o considero um grande ator, e mal posso esperar para começar a produção", disse Nero em entrevista ao canal ABC News.

Produtores de TV e filmes começaram a descartar Spacey de projetos depois que o ator Anthony Rapp, em 2017, o acusou de fazer investidas sexuais indesejadas na década de 1980, quando ele tinha 14 anos. Seguiram-se mais acusações, e vários homens processaram Spacey por causa de seus relatos de agressão sexual e outras más condutas.
Spacey, de 61 anos, foi rapidamente excluído do thriller político da Netflix, House of Cards; substituído por Christopher Plummer no filme Todo o Dinheiro do Mundo; e interpretou Gore Vidal em um filme biográfico ainda inédito.

Menos de um ano após as acusações, Spacey ganhou um papel coadjuvante em um filme chamado O Clube dos Meninos Bilionários, mas não apareceu em nenhum programa de televisão ou filme desde então.
Louis Nero disse que o filme é sobre um artista cego, interpretado por Franco Nero, que desenha retratos de pessoas ouvindo suas vozes. Redgrave foi escalada para interpretar uma mulher que ensina o artista a ler Braille. O cineasta espera concluir o projeto em setembro.
Spacey ainda não filmou suas cenas. Questionado sobre as alegações de agressão sexual, Louis Nero disse: "Só sei que ele é um bom ator - é isso".

Há anos, Spacey está envolvido em processos judiciais por acusações de agressão sexual e má conduta. Além de Rapp, um homem que preferiu não se identificar também alega que Spacey o agrediu sexualmente quando ele tinha 14 anos, depois de conhecê-lo em uma aula de atuação, na década de 1980.

Um juiz de Nova York determinou que o homem teria de se identificar publicamente se quisesse continuar o julgamento, mas seus advogados alegaram que a "atenção indesejada" associada à revelação de sua identidade seria "demais para ele suportar". Por isso, devem apelar da decisão. (Com agências internacionais)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Conteúdo Estadão, em Brasil & Mundo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.