Por Meon Em Brasil & Mundo

Fernandinho adverte o Brasil sobre os perigos do colombiano James

Fernandinho adverte o Brasil sobre os perigos do colombiano James (Divulgação/Fifa)

Fernandinho adverte o Brasil sobre os perigos do colombiano James Rodriguez

Divulgação/Fifa

Para o volante Fernandinho, o Brasil vai estar em apuros nas quartas de final desta sexta-feira (4), contra a Colômbia, caso o excelente James Rodriguez tenha qualquer espaço para realizar suas jogadas.

O jogador colombiano de 22 anos, tem sido indiscutivelmente o craque da Copa do Mundo até agora, marcando cinco gols em quatro jogos da Colômbia, incluindo um magnífico voleio na vitória por 2 a 0 sobre o Uruguai nas oitavas.

Fernandinho disse que podia ver que James iria se transformar em uma estrela, quando chegaram a jogar contra na UEFA Champions League, na partida entre Shakhtar Donetsk e FC Porto, em Setembro de 2011. "Eu joguei contra ele na Liga dos Campeões. Foi o início do seu tempo na Europa e ele ainda não era uma primeira escolha para o Porto", conta Fernandinho.

"Já nesse jogo ele mostrou sua qualidade técnica com o pé esquerdo. Nesta Copa do Mundo, ele está mostrando a todos que o dinheiro pago pelo Mônaco por ele, foi bem investido. Quanto menos espaço dermos para ele, será melhor para o Brasil", afirma Fernandinho.

Apesar disso, Fernandinho disse que não haverá nenhuma marcação específica para James, que se mudou do Porto para o Mônaco por € 45 milhões de euros no ano passado. "Onde quer que eu joguei, a marcação no homem não existe mais. Ele precisa ser feito por zona", disse o meio-campista do Manchester City.

A pressão sobre os anfitriões
Enquanto isso, o Brasil também deve se preparar para lidar com o tipo de pressão que enfrentou na dramática vitória no último sábado (28) contra o Chile, em Belo Horizonte.Na ocasião, o goleiro Julio Cesar estava em lágrimas antes da disputa de pênaltis, que o Brasil venceu por 3 a 2.

O capitão Thiago Silva também foi visto chorando no final da partida, e desde então tem sido criticado na imprensa brasileira por supostamente não liderar pelo exemplo. Carlos Alberto Torres, o capitão da grande equipe do Brasil que ganhou a Copa do Mundo de 1970 no México, chegou a criticar a postura do jogador.

No entanto, Fernandinho descarta que esta equipe do Brasil não é mentalmente forte o suficiente para conquistar o título em casa. "Temos nos preparado desde que estamos juntos pela primeira vez em 26 de maio. Nós trabalhamos no lado psicológico. O que importa agora é mostrar o que podemos fazer dentro de campo", afirma.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Meon, em Brasil & Mundo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.