Por Conteúdo Estadão Em Brasil & Mundo

Nigéria sofre, mas vence e elimina a Bósnia-Herzegovina

nigeria_bosnia

Nigéria segura o placar e vence Bósnia

Phil Walter/Getty Images/Portal da Copa

Nigéria e Bósnia-Herzegovina fizeram mais um confronto "tudo ou nada" nesta Copa do Mundo, na Arena Pantanal, em Cuiabá, pelo Grupo F. E o resultado pendeu para o time mais experiente em Mundiais. Os nigerianos venceram a partida por 1 a 0, renasceram na chave e eliminaram a seleção estreante. O destaque da partida foi o goleiro Enyeama, invicto no torneio e que salvou sua equipe ao defender um chute dentro da área de Dzeko no último lance do duelo.

Para a Bósnia resta agora encarar o Irã na última rodada, em Salvador, apenas para cumprir tabela. A Nigéria entra com tudo contra a Argentina podendo até garantir o primeiro lugar do Grupo F, caso vença a partida de quinta-feira em Porto Alegre. No caso de empate, os nigerianos garantem o segundo lugar da chave e a vaga nas oitavas.

O JOGO - Com a presença de Joseph Blatter, presidente da Fifa, a partida começou movimentada, com as duas equipes procurando o gol para continuar sonhando com a vaga nas oitavas. A Nigéria quase abriu o marcador em boa cobrança de falta de Odemwingie, uma das alterações promovidas pelo técnico Keshi para o duelo. A bola passou rente à trave esquerda do goleiro Begovic. Os bósnios responderam na jogada seguinte e Pjanic, da Roma, quase marcou ao bater sobre a meta de Enyeama.

O confronto prometia muito e a Nigéria buscava o gol com jogadas agudas de Musa. Em uma delas, aos 11 minutos, Mikel concluiu rasteiro para ameaçar de novo o canto direito do goleiro bósnio. A bola novamente passou rente à trave. Onazi voltou a chutar firme de fora da área, dois minutos depois, para defesa importante de Begovic.

Aos 20, a Bósnia reagiu ao domínio africano e mais um lance polêmico foi registrado na Copa do Mundo. Dzeko recebeu passe de Misimovic e saiu atrás do zagueiro nigeriano. O atacante do Manchester City fez o gol, mas o auxiliar da Nova Zelândia, Mark Rule, marcou o impedimento, confirmado pelo juiz Peter O'Leary.

Os europeus continuaram na pressão e quatro minutos depois Dzeko voltou a receber na entrada da área, demorou para chutar, mas sua conclusão encontrou Enyeama bem posicionado para uma boa defesa. Aos 27, a Bósnia voltava a assustar em chute de fora da área com Pjanic, para outra boa defesa de Enyeama.

Mas a Nigéria surpreendeu o time bósnio com uma jogada individual, na força, de Emenike, pela direita. Aos 28 minutos, o atacante passou por Spahic e cruzou para Odemwingie completar e abrir o marcador para os africanos. Os bósnios reclamaram que Emenike "atropelou" Spahic, mas o árbitro neozelandês não deu nada.

Com a vantagem, a Nigéria recuou e marcava forte o toque de bola da Bósnia, esperando oportunidades para ampliar o placar e pressionar ainda mais. Quando a seleção europeia diminuiu seu ritmo, os nigerianos ensaiaram um "tiki-taka" para manter a posse de bola. E os nigerianos quase ampliaram com Musa, que chutou forte, rasteiro, da direita, para defesa em dois tempos de Begovic. Os bósnios só voltaram a assustar com Medunjanin, em chute forte que passou à direita de Enyeama.

Com muito equilíbrio no confronto, o lance de maior perigo voltou a acontecer na área da Nigéria, quando Dzeko concluiu por cima da trave em passe de Misimovic.

Na volta do intervalo, a Bósnia controlava as ações, mas a equipe que ameaçava era a Nigéria. Aos 10 minutos, Babatunde arriscou firme da entrada da área para excelente defesa de Begovic. A seleção africana quase marcou no minuto seguinte, quando Onazi perdeu a chance de deixar Musa na cara do goleiro bósnio.

O tempo passava e a Bósnia ia sendo eliminada de sua primeira Copa do Mundo. A Nigéria usava esta pressão para tentar ampliar. Primeiro com Babatunde, aos 15, e depois com Emenike, na sequência. Begovic continuava mantendo as esperanças bósnias. Aos 19, outra vez o goleiro bósnio mandou para escanteio em outro chute perigoso de Emenike.

Do outro lado, Enyeama não era exigido porque a Bósnia queria "entrar com bola e tudo". Seus jogadores não arriscavam de fora da área, tentando em passes rápidos invadir a área nigeriana. Ou pressionar com bolas aéreas. Mas não conseguiam obter nenhum sucesso em suas tentativas. Mas aos 28, quase a Bósnia empata. Em escanteio pela esquerda, Ibisevic subiu sozinho, mas cabeceou para fora.

Com um futebol mais sólido, a Nigéria assustava esporadicamente. Aos 35, Onazi arriscou de fora da área para mais uma defesa parcial de Begovic. Aos 37, outra vez Emenike chutou firme. Desta vez a bola saiu rente à trave.

A pressão bósnia foi desorganizada e não surtiu o efeito desejado, resultando na eliminação do time dos Bálcãs da sua primeira Copa. No último lance da partida, Enyema salvou a Nigéria no reflexo, também contando com a ajuda da trave em chute ruim após toque de mão de Dzeko.

FICHA TÉCNICA

NIGÉRIA 1 x 0 BÓSNIA-HERZEGOVINA

NIGÉRIA - Enyeama; Ambrose, Yobo, Omeruo e Oshaniwa; Mikel, Babatunde (Uzoenyi), Odemwingie e Onazi; Musa (Ameobi) e Emenike. Técnico: Stephen Keshi.

BÓSNIA-HERZEGOVINA - Begovic; Mujdza, Sunjic e Spahic; Besic, Hajrovic (Ibisevic), Medunjanin (Susic), Pjanic, Lulic (Salihovic) e Misimovic; Dzeko. Técnico: Safet Susic.

GOL - Odemwingie, aos 28 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Mikel (Nigéria); Medunjanin (Bósnia-Herzegovina).

ÁRBITRO - Peter O'Leary (Fifa/Nova Zelândia).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Arena Pantanal, em Cuiabá (MT).

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Conteúdo Estadão, em Brasil & Mundo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.