Por Conteúdo Estadão Em Brasil & Mundo

Palmeiras vence Bragantino e encara Ituano na semifinal

Apesar de fazer um jogo nervoso com o Bragantino, o Palmeiras sofreu menos do que esperava para garantir seu lugar na semifinal do Campeonato Paulista. Jogando no Pacaembu, o time do técnico Gilson Kleina venceu por 2 a 0 na noite desta quinta-feira, mas mostrou poder de fogo superior ao do placar e empolgou a torcida, que gritou "olé" nos instantes finais da partida e comemorou a classificação.

O confronto encerrou as disputas das quartas de final do Estadual. Com o resultado, o Palmeiras assegurou duelo com o Ituano, que eliminou o Botafogo na quarta-feira. Esta semifinal está marcada para as 18h30 de domingo, no Pacaembu. A outra semifinal terá Santos e Penapolense na Vila Belmiro, às 16 horas do mesmo dia.

Para avançar no Paulistão, o Palmeiras fez um duelo aguerrido com o Bragantino. Empurrado pela torcida, que fazia barulho no Pacaembu, o time da capital partiu para o ataque assim que o árbitro deu o apito inicial. Com dificuldade para superar a retranca do atento Bragantino, a equipe apostava nos levantamentos na área e nos chutes de fora da área.

Assim, Bruno César arriscou de canhota e deu trabalho para Rafael Defendi, aos 20. Antes, o meia havia tentado em cobrança de falta, para fora. Os lances com bola rolando, contudo, geravam menos resultado. O maior volume de jogo, incontestável, e a correria logo paravam na marcação do visitante.

Diante deste obstáculo, o Palmeiras abriu o placar em lance de bola parada. Após cobrança de escanteio de Wesley, a bola desviou no desajeitado Alexandre e parou nos pés de Alan Kardec, que não perdoou. Na pequena área, ele fuzilou para as redes aos 21 minutos de jogo.

A vantagem do Palmeiras no placar passou a exigir uma postura mais ofensiva do Bragantino. No entanto, o time era comedido ao buscar o ataque e só ameaçava em jogadas de bola parada. Fernando Prass, sem maiores dificuldades, neutralizou estas tentativas.

O intervalo não amenizou o clima do jogo, que seguiu quente na etapa final. Mesmo na frente no placar, o Palmeiras continuava a pressionar a defesa do Bragantino. E só não chegou ao segundo gol, aos 9, porque o goleiro fez duas grandes defesas em sequência. Na primeira, defendeu finalização à queima roupa de Valdivia dentro da área. Em seguida, evitou o gol de Alan Kardec, no rebote.

Cada vez mais embalado, o Palmeiras bombardeava o gol de Defendi e desperdiçava boas chances até que Wesley aproveitou sobra na área e só completou para as redes, aos 17. O segundo gol deu maior tranquilidade ao time da capital, que cadenciou a partida até o apito final.


FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 x 0 BRAGANTINO

PALMEIRAS - Fernando Prass; Wendel (Vinícius), Lúcio, Tiago Alves e Juninho; Marcelo Oliveira, Wesley e Valdivia; Bruno César (Eguren), Leandro (Patrick Vieira) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

BRAGANTINO - Rafael Defendi; Alexandre, Guilherme Mattis e Yago; Robertinho, Francesco, Geandro (Diego), Gustavo e Léo Jaime; Magno Cruz (Rodrigo) e Tássio. Técnico: Marcelo Veiga.

GOLS - Alan Kardec, aos 21 minutos do primeiro tempo. Wesley, aos 17 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Francesco, Bruno César, Marcelo Oliveira, Valdivia, Geandro.

ÁRBITRO - Flávio Rodrigues Guerra.

RENDA - R$ 861.105,00.

PÚBLICO - 24.231 pagantes (25.714 no total).

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Conteúdo Estadão, em Brasil & Mundo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.