Por Conteúdo Estadão Em Brasil & Mundo

Tuchel elege City como 'melhor do mundo', mas destaca 'fome' de título do Chelsea

A final da Liga dos Campeões entre Manchester City e Chelsea neste sábado, às 16h (de Brasília), opõe dois dos melhores técnicos do mundo. Pep Guardiola e Thomas Tuchel são perfeccionistas taticamente, armam equipes difíceis de serem batidas e se conhecem bem. Embora os dois sejam personagens de destaque da decisão no Estádio do Dragão, na cidade do Porto, o treinador alemão crê que os protagonistas serão os jogadores.

"Eu nunca sugeri que é um confronto de mim contra Pep. Não se trata de uma partida de tênis amanhã. Pep vai preparar sua equipe e eu preparar a minha da melhor maneira possível", disse Tuchel em entrevista coletiva nesta sexta, véspera da final. Eles se conhecem bem já foram oponentes na Alemanha e, agora, na Inglaterra.

Tuchel busca seu primeiro título da Liga dos Campeões, após perder a última final para o Bayern de Munique com o Paris Saint Germain, enquanto Guardiola procura adicionar mais um troféu aos dois que ganhou como treinador do Barcelona em 2009 e 2011.

O Chelsea venceu o City duas vezes desde que Tuchel assumiu o comando do clube londrino em janeiro. Ganhou na semifinal da Copa da Inglaterra e em seguida em duelo do Campeonato Inglês na casa do adversário. Mas o técnico alemão não se ilude sobre o tamanho do desafio frente ao campeão inglês.

"Tivemos experiências diferentes contra eles. Sabemos como corajosos precisamos ser no jogo. É muito difícil jogar contra City, Bayern ou Barcelona, com Pep ao lado. Eles são talvez o melhor time da Europa, ou do mundo, e criaram um espaço em relação aos outros. Mas encurtamos essa distância nos últimos jogos", afirmou o técnico do Chelsea, que vê seu time como azarão na final, mas com muita "fome de título".

"Sentimos que trabalhamos duro para estar aqui, e estamos com fome. Não estamos felizes ainda, satisfeitos ou superanimados. Estamos aqui para ganhar o troféu. Talvez um pouco azarões, mas com muita coragem e vontade de ganhar", explicou. "Nós temos que tentar fazer o nosso melhor, deixar o jogo sem arrependimentos. Tento encorajar todo mundo e prepara o time para isso", emendou.

Uma das referências do time londrino, o brasileiro naturalizado italiano Jorginho lembrou do "emocionante" duelo contra o Real Madrid. Após a vitória por 2 a 0 que garantiu os ingleses na final, ele foi um dos que desabou no gramado. "Chegar à final é algo incrível, não só para mim, para este grupo, porque trabalhamos muito para isso e naquele momento muitas coisas me vieram à mente", recordou-se.

Tuchel confirmou que não tem problemas para escalar o Chelsea. O goleiro Edouard Mendy e o volante N'Golo Kanté, dois dos principais jogadores do elenco, estão recuperados de suas lesões e vão para o jogo. "As notícias da equipe são as melhores de sempre, temos uma equipe completa". Embora tenha todos à disposição, ele não adiantou a escalação, que só será conhecida pouco antes do jogo decisivo em Portugal. O país recebe a final da Liga dos Campeões pela segunda temporada seguida.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Conteúdo Estadão, em Brasil & Mundo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.