Por Conteúdo Estadão Em Brasil & Mundo

Viña revela ajuda psicológica após expulsão e perda de títulos com o Palmeiras

O uruguaio Matías Viña voltou ao time titular do Palmeiras na estreia do Brasileirão diante do Flamengo. Após suspensão de três jogos da Conmebol, foi ausência na Libertadores e acabou defendendo o time alternativo em algumas rodadas do Paulistão. O martírio começou com expulsão por agressão na Recopa Sul-Americana, diante de Defensa y Justicia. A perda daquele título o fez carregar sentimento de culpa e, desde então, ele vem trabalhando com uma psicóloga.

Viña acabou pegando três jogos de punição após desferir chute nas costas do zagueiro do Defensa Y Justicia no duelo de volta, em Brasília. O Palmeiras perdeu o título e ele acabou assumindo a culpa. Ainda seria vice na Supercopa do Brasil e, recentemente, do Paulistão. Tudo anda mexendo com seu psicológico.

"Estou trabalhando com uma psicóloga. Depois de ter sido expulso na Recopa, sofri muito porque foi o primeiro cartão vermelho da minha carreira, aprendi muito com isso e com as finais que perdemos: perdi a Supercopa contra o Flamengo, a Recopa contra o Defensa y Justicia e, faz uma semana, perdemos o Paulista. São quedas fortes, claro que sempre é preciso seguir em frente e estou trabalhando nisso", afirmou o lateral-esquerdo, em entrevista para a rádio Sport, do seu país.

Familiares orientaram o jogador a buscar auxílio profissional após ele mostrar tristeza profunda após as partidas. "Não sou muito de falar, sou bastante reservado. Sempre tentava resolver os próprios problemas que eu tinha e isso me fazia mal", enfatizou. "Guardava muitas coisas e sentia dentro de campo, levava os problemas extra futebol para o campo. Já falava com minha namorada e minha mãe, que me incentivaram a procurar uma psicóloga e está indo muito bem."

O Palmeiras vem auxiliando o jogador e ele não esconde que, após a primeira expulsão da carreira, se tornou ainda mais um amante do futebol. Do tipo que não gosta de perder, o lateral está usando o problema para se reerguer na profissão.

"Devemos continuar neste caminho de limpar a cabeça e trabalhar mentalmente porque, sinceramente, não gostava de futebol como antes daquela expulsão e das finais que viria a perder", disse. "O Palmeiras tem me ajudado muito no futebol e a nível pessoal para amadurecer."

O lateral foi convocado pela seleção uruguaia para jogos das Eliminatórias e vai desfalcar o Palmeiras nas próximas partidas. Weverton e Gustavo Gómez também estão com as suas respectivas seleções, e Gabriel Menino, este com a seleção olímpica, são outros desfalques.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Conteúdo Estadão, em Brasil & Mundo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.