Brasil

Ciro Gomes diz acreditar que Lula "conspirou" pelo impeachment de Dilma em 2016

Após breve período de trégua, pedetista volta a criticar personalidades petistas

Escrito por Da Redação

13 OUT 2021 - 20H21 (Atualizada em 13 OUT 2021 - 20H44)

O ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT)  Foto: Estadão

Pré-candidato à presidência da República e ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), afirmou na terça-feira (12), em entrevista ao podcast Estadão Notícias, estar convicto de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conspirou pelo impeachment de Dilma Rousseff (PT), em 2016.

O pedetista citou em sua argumentação o fato de o petista manter contato com figuras como o senador Renan Calheiros (MDB) e o ex-senador Eunício de Oliveira em suas viagens pelo nordeste. Ambos, na ocasião do processo de impedimento feito contra a ex-presidente, votaram favoravelmente pelo afastamento de Dilma.

"Eu estive atuando contra o impeachment e quem fez o golpe foi o Senado Federal. Quem presidiu o Senado? Renan Calheiros. Quem lidou o MDB nessa investida? Eunício Oliveira. Com quem o Lula está hoje?", afirmou.

Segundo Ciro, o primeiro a "questionar se Lula estaria ou não do lado de Dilma" teria sido seu irmão, o senador Cid Gomes (PDT), ainda na época do processo de impeachment.


Ex-presidente se manifesta

Pelo Twitter, a ex-presidente Dilma Rousseff reagiu às declarações de Ciro com críticas ao pedetista e afirmou que o ex-governador "tenta de todas as formas reagir à baixa aprovação.

"Ciro Gomes está tentando de todas as formas reagir à sua baixa aprovação popular. Mais uma vez mente de maneira descarada, mergulhando no fundo do poço (...)" tuitou Dilma.

O cearense respondeu às críticas afirmando que nunca teria mentido em vida pública, mas que um de seus erros teria sido "lutar contra o impeachment de uma das pessoas mais incompetentes, inapetentes e presunçosas que já passaram pela presidência".


"Irresponsabilidade de Lula" elegeu Bolsonaro, diz Ciro

Após ser vaiado e ameaçado fisicamente na Avenida Paulista no início do mês de outubro, em manifestação contra a gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Ciro Gomes afirmou que pediria "trégua" para sua militância nas críticas contra Lula e o PT. Contudo, o tom ameno durou pouco.




Além de criticar Dilma, o pedetista afirmou na mesma entrevista que a "irresponsabilidade criminosa" de Lula foi um dos fatores que levaram o atual presidente, Jair Bolsonaro, ao cargo de chefe da República.

"Quem produziu Bolsonaro foi a irresponsabilidade criminosa e corrupta. Foi a crise econômica produzida pela falta de responsabilidade do Lula, que nos impôs uma presidente sem nenhuma qualificação para o cargo e que fez o oposto do que prometera", destacou.

Já em relação ao ex-candidato à presidência derrotado em 2018, Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes afirmou que o paulista é "um querido amigo", mas que não possui experiência e "não conhece o Brasil".

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Da Redação, em Brasil

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.