Por Conteúdo Estadão Em Mundo

Merkel pede a Putin que não desestabilize a Moldávia

A primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, disse ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, que ele não tente desestabilizar a Moldávia, informou hoje o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert.

Em conversa telefônica feita ontem, a principal comandante militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) advertiu que a força "muito considerável" que a Rússia mantém na fronteira oriental da Ucrânia Rússia pode ser usada para forçar a anexação da região da Transnístria, que faz parte da Moldávia, ao território russo.

A Transnístria é uma estreita faixa de terra espremida entre a Ucrânia e a ex-república soviética da Moldávia e tem laços estreitos com Moscou. Na semana passada, os legisladores da região pediram formalmente ao parlamento da Rússia que, a exemplo da Crimeia, fossem anexados ao país.

Durante o telefonema de domingo, tanto Merkel quanto Putin saudaram a decisão da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) de implantar uma missão de observadores internacionais na Ucrânia, afirmou o porta-voz alemão.

"Há um consenso entre Merkel e Putin que a missão da OSCE é bem-vinda. A nossa avaliação é de esse seja um passo positivo", disse Seibert.

Segundo o porta-voz, Merkel reiterou a Putin que a Alemanha não vai reconhecer a anexação da Crimeia ao território russo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Conteúdo Estadão, em Mundo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.