Por Vinicius Assis Em RMVale Atualizada em 29 JUN 2020 - 16H49

Auxílios emergenciais indevidos podem dar prejuízo de R$ 1 bilhão ao governo, aponta relatório do TCU

A pesquisa aponta que 620 mil brasileiros receberam o dinheiro sem ter direito

Divulgação/Marcelo Casal Jr/Agência Brasil
Divulgação/Marcelo Casal Jr/Agência Brasil
Ao todo o governo deve gastar R$ 154,4 bilhões para pagar o auxílio emergencial a 79,9 milhões de brasileiros em três parcelas


O auxílio emergencial foi criado para diminuir a crise financeira gerada pela Covid-19 e dar aporte financeiro aos que tem pouco poder econômico, mas muitas pessoas estão tendo acesso ao dinheiro de forma indevida.

Um relatório divulgado do TCU (Tribunal de Contas da União)  revelou que 620 mil brasileiros receberam o auxílio emergencial indevidamente. O número de falsos beneficiários pode causar prejuízo de mais de R$ 1 bilhão aos cofres públicos.

De acordo com o Governo Federal e a Caixa Econômica, é necessário ser maior de idade, ter renda familiar mensal inferior a meio salário mínimo per capita ou três salários mínimos no total. Para receber o auxílio, o trabalhador não pode ter aposentadoria, seguro-desemprego ou ser beneficiário de outra ajuda do governo. Mas 620 mil pessoas que não correspondem a esses quesitos estão na lista dos que receberam o dinheiro.

Em abril, foram pagos R$ 35,8 bilhões para 50 milhões de beneficiários em todo o país. Um levantamento feito pelo TCU mostrou que vários beneficiários não passam por dificuldades financeiras e não se enquadram no público que deve receber o auxílio. A reportagem mostrou que empresários, esposas de políticos e outras pessoas que claramente não passam por dificuldades financeira receberam os R$ 600 e R$ 1,2 mil de forma indevida.

De acordo com o pente fino do TCU, 125 mil empresários receberam o valor, além de 15 mil pessoas com renda superior ao permitido, 134 mil pensionistas ou servidores públicos e sete mil presidiários receberam o benefício. Os números citados correspondem a 281 mil pessoas, as outras 339 mil que não deveriam receber o benefício, mas ainda assim receberam, não teve o motivo da regularidade divulgado.

Caso o benefício dessas pessoas não seja suspenso, o prejuízo do Governo Federal vai passar de R$ 1 bilhão, somando as três parcelas. Por meio de nota, a Caixa informou que o Ministério da Economia já suspendeu outros 600 mil benefícios desde o início da distribuição do auxílio por conta de fraudes.

Os que receberam de forma indevida precisam devolver o dinheiro. Para isso basta acessar a página do Ministério da Cidadania, onde estão todos os passos para devolver o dinheiro e cancelar o auxílio. O crime por receber o benefício indevidamente, pode render mais de 6 anos de prisão.

Somando as fraudes e os auxílios corretos, o governo deve gastar R$ 154,4 bilhões para pagar o auxílio emergencial a 79,9 milhões de brasileiros durante os meses de abril, maio e junho.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Vinicius Assis, em RMVale

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.