Por Conteúdo Estadão Em Brasil

Fernando de Noronha sofre falta d'água há três semanas

A tensão substituiu o glamour no badalado Arquipélago de Fernando de Noronha diante da falta d'água que atinge o local há cerca de três semanas. O açude Xaréu, único manancial de abastecimento da ilha, secou e os dessalinizadores (que tornam potável a água do mar) não são suficientes para atender a demanda em época de férias.

A população local começou a se manifestar no sábado, 8, com um protesto na BR-363. A via foi interditada por cerca de duas horas em horário de voos, impedindo turistas de deixarem o local. Na madrugada deste domingo, 9, um incêndio atingiu a vegetação às margens da pista do aeroporto. Está sendo investigada a possibilidade de uma ação criminosa.

Há registro de fechamento de restaurante e de pousadas por causa da escassez de água e turistas chegam a usar piscinas para tomar banho. Nesta segunda-feira, 10, o conselho distrital de Fernando de Noronha está reunido - com representação da comunidade e dos empresários - em busca de uma solução. A população pressiona e ameaça novo protesto nesta quarta-feira, 12. A Companhia de Abastecimento de Pernambuco (Compesa) informou em nota que está realizando todas as ações possíveis para minimizar os efeitos da estiagem, que lembra ser a pior dos últimos 50 anos, com reflexo direto no abastecimento local.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Conteúdo Estadão, em Brasil

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.