Brasil & Mundo

Doria recua e diz que São Paulo não será mais uma das sedes da Copa América

Segundo a nota, o governador solicitou ao secretário-geral da Confederação Brasileira de Futebol, Walter Feldman, que busque alternativas para a realização da Copa América fora do estado

Escrito por Conteúdo Estadão

01 JUN 2021 - 19H15 (Atualizada em 01 JUN 2021 - 21H40)

Pacaembu - Estádio municipal perdeu espaço com as novas arenas de Corinthians e Palmeiras Foto: Eduardo Nicolau|Estadão

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), recuou nesta terça-feira, 1º, e disse que o Estado não receberá mais a Copa América. Horas depois de defender a realização dos jogos "por ser coerente", ele disse que conversou com membros do Centro de Contingência e os cientistas informaram que receber o evento neste momento "representaria uma má sinalização de arrefecimento no controle de transmissão do coronavírus".

A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa. Segundo a nota, o governador solicitou ao secretário-geral da Confederação Brasileira de Futebol, Walter Feldman, que busque alternativas para a realização da Copa América fora do Estado de São Paulo.

O novo posicionamento de Doria, que havia afirmado anteriormente não ver problema em receber o torneio em São Paulo, aconteceu quase que simultaneamente à confirmação da competição no Brasil feita pelo presidente Jair Bolsonaro. Ele informou que os governadores do Distrito Federal, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Goiás aceitaram receber os jogos da competição.

"Escolhemos as sedes em comum acordo, obviamente, com os governadores. Agora, já tivemos quatro governadores: aqui de Brasília, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Goiás. E mais um agora, que chegou um pouco atrasado, também se prontificando a sediar a Copa América. Então, ao que tudo indica, prezado Queiroga (ministro da Saúde), seguindo os mesmos protocolos, o Brasil sediará a Copa América", disse Bolsonaro, durante evento no Ministério da Saúde, onde foi anunciada a transferência de tecnologia para o laboratório da Fiocruz fabricar a vacina da Astrazeneca contra o coronavírus.

A Conmebol anunciou na segunda-feira o Brasil como sede da Copa América após Colômbia e Argentina recusarem a competição por causa de protestos populares e do recrudescimento da pandemia. A decisão gerou críticas e também dividiu o País. Os governadores do Rio Grande do Sul, Pernambuco e Rio Grande do Norte já haviam adiantado não ter condições de receber um evento desse porte em meio à sua luta contra a covid-19. Nas redes sociais, o evento ganhou apelidos como "Corona Cup" e "Cepa América", além de memes críticos à competição.

A Conmebol pretende vacinar as dez delegações participantes da Copa América 2021 até o início do torneio, dia 13. As seleções do Chile, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela já receberam a primeira dose do imunizante da Sinovac. Argentina, Brasil, Colômbia e Peru ainda não. As datas dos jogos serão confirmadas em breve.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Conteúdo Estadão, em Brasil & Mundo

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.