Por Conteúdo Estadão Em Noticias

Bolsas europeias fecham mistas; Londres, Paris e Lisboa ficam no vermelho

Os principais mercados acionários da Europa fecharam o pregão desta terça-feira sem direção única, com fatores pontuais influenciando as ações de diferentes praças. Em Londres, pesou a queda do petróleo e de commodities metálicas durante a maior parte do dia. Já em Frankfurt, o foco ficou com a divulgação de indicadores domésticos, que apontaram para a recuperação da economia alemã.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,03%, aos 445,20 pontos.

Apesar de ter se recuperado nas últimas horas do pregão europeu, o petróleo recuou durante a maior parte da sessão, pressionando ações de companhias do setor em Londres, onde o índice FTSE 100 fechou em queda de 0,31%, aos 7.029,79 pontos, na mínima intraday. A Royal Dutch Shell liderou as perdas do índice ao cair 2,64%, enquanto a BP recuou 2,01%.

Também repercutindo a queda de commodities no mercado futuro, papéis de mineradoras britânicas puxaram o recuo do FTSE 100. Anglo American (-2,36%), Glencore (-2,05%) e Antofagasta (-2,03%) registraram as piores baixas do setor na bolsa londrina.

Seguindo o movimento no Reino Unido, o índice CAC 40, de Paris, fechou em baixa de 0,28%, aos 6.390,27 pontos, com a petroleira Total (-1,82%) registrando a maior queda da bolsa francesa.

Já na bolsa de Frankfurt, o cenário foi oposto, com o índice DAX ganhando 0,18%, aos 15.465,09 pontos, após a alta do índice de sentimento das empresas da Alemanha, medido pelo instituto alemão Ifo, apontar para uma perspectiva otimista à economia do país, segundo o ING.

Também saiu nesta terça-feira a segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) alemão do primeiro trimestre de 2021, que veio pouco acima da estimativa anterior. Ainda que tenha confirmado a maior recessão da Alemanha desde a reunificação em 1990, a economia do país aparenta estar cada vez mais bem posicionada para ter um forte crescimento no restante de 2021, diz o ING.

Entre ações listadas no DAX, se destacou a Deutsche Wohnen, empresa imobiliária cujo papel saltou 15,71% hoje, após a concorrente Vonovia anunciar a sua compra por US$ 23 bilhões, segundo informações da agência Reuters.

Refletindo o clima misto nas bolsas, as bolsas de Milão e Madri fecharam perto da estabilidade, com o índice italiano FTSE 100 em alta de 0,01%, aos 24.892,90 pontos, e o espanhol IBEX 35 ganhando 0,03%, aos 9.208,70 pontos.

Já o PSI 20, de Lisboa, teve queda de 0,20%, aos 5.211,13 pontos.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Conteúdo Estadão, em Noticias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.