Regional

Rugby brasileiro feminino tem quinta-feira de duas partidas decisivas no Japão

As Yaras já perderam nos dois primeiros jogos e agora precisam fechar o quadrangular com vitória e ainda torcer

Escrito por Jogando Juntos

29 JUL 2021 - 12H36

Mike Lee/World Rugby Rugby 991 (Mike Lee/World Rugby)

A seleção brasileira feminina de rugby tem uma quinta-feira decisica nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A equipe que conta com uma jogadora do São José Rugby, a Mariana Nicolau, precisa vencer e torcer por uma interessante combinação de resultados nas partidas de concorrentes.

No quadrangular de turno único que classificará os dois melhores à reta decisiva das medalhas, as brasileiras estrearam perdendo para o Canadá, na quarta-feira, por 0 a 33. E na manhã desta quinta-feira, também tiveram um resultado negativo.

As Yaras perderam a segunda partida nos Jogos Olímpicos, desta vez para a França pelo placar de 40 a 5, e dificultaram suas chances de classificação. A partida realizada no início da manhã de hoje, pelo horário de Brasília, no Estádio Olímpico de Tóquio, foi válida pela segunda rodada da competição.

O resultado garantiu as Bleues – quarto lugar no Circuito Mundial de Rugby Sevens 2020 e sexto lugar na Rio-2016 – nas quartas-de-finais do torneio e até o momento em primeiro do Grupo B com 6 pontos. A seleção brasileira depende agora de uma vitória muito larga sobre Fiji, em partida que será transmitida às 21 horas de hoje (dia 29) pelos canais Sportv, Globoplay e Bandsports. E ainda torcer para a França derrotar o Canadá por um placar alto que permita as brasileiras ficarem entre as melhores terceiras colocadas.

A partida

Brasil entrou em campo com as forwards Mariana Nicolau, Luiza Campos e Raquel Kochhann (capitã), a scrum-half Isadora “Izzy” Cerullo e as backs Rafaela Zanellato, Leila Silva e Thalia Costa. As Yaras deram o chute inicial e propuseram o jogo nos primeiros dois minutos, mas alguns erros de passe propiciaram contra-ataques das francesas, que abriram o placar logo em seguida com try de Anne-Cecille Ciofani e conversão da back Jade Ulutule, um dos destaques do confronto.

A partir daí, a França determinou uma defesa bem coordenada para aproveitar novas brechas das linhas brasileiras e contra-atacar. Ampliou o placar para 19 a 0 com tries de Ciofani e Lina Guerin e outra conversão de Ulutule.

No segundo tempo, o técnico das Yaras, William Broderick, colocou em campo Thalita Costa, Haline Scatrut, Marina Fioravant e Bianca Silva, que arrancou por longa distância para anotar um try logo no início, os primeiros pontos das brasileiras no torneio. Porém, o time brasileiro não sustentou uma reação. As Bleues voltaram a marcar com Guerin, Shannon Izar, Chloe Jaquet e Ulutule e concretizaram o triunfo sobre o time brasileiro.

A disputa

Na fase classificatória do rugby sevens, avançam às quartas-de-finais as duas melhores seleções de cada um dos três grupos e as duas melhores terceiras colocadas. No momento, o grupo A é liderado por Nova Zelândia (atual medalhista de prata) com 3 pontos, seguida da Grã-Bretanha com a mesma pontuação. Comitê Olímpico Russo e Quênia têm um ponto. Já na chave C, Austrália (atual campeã olímpica) e Estados Unidos lideram com 6 pontos e China e Japão vêm atrás com 2 pontos.


Mike Lee/World Rugby
Mike Lee/World Rugby
A capitã brasileira Raquel Kochhann tentando furar a uma parede francesa


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jogando Juntos, em Regional

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.