Sexta-feira, 23 de Abril de 2021

Meon Jornal - 15a Ed.

Editorial: Fase de Transição

A partir de amanhã, pela décima vez, o estado intervém na dinâmica de funcionamento dos municípios paulistas, no que tange à rotina de comércios, prestadores de serviço e restaurantes e similares.

O Plano São Paulo, ação intersecretarial do estado para o combate à Covid-19, ao longo de quase um ano de existência, enfrenta dicotomicamente o papel de “Jekyll and Hyde”. Em seus primeiros compassos foi um verdadeiro “tour de force” para um governador deslumbrado com a possibilidade consagrar-se como salvador da pátria.

Doria passava horas à frente das câmeras, vestido de estadista, modelo que, ao longo dos meses e dos desastres consequentes de seus flertes com a construção de uma candidatura presidencial, foi definhando e tornando visível a todos que São Paulo, assim como os mais distantes rincões do país, estava perdido no enfrentamento à chaga moderna.

A vacina tornou-se a única saída e, mais uma vez, motivado pelas luzes da ribalta, eis que o hoje com 9% das intenções de voto para permanecer no Palácio trouxe a figura do “Super Vaccinator”, tweetando que vai vacinar a rodo. “Vou vacinar você também”, é um dos tweets mais utilizados pelo gestor.

Enfim, apresentado pelo vice-governador Rodrigo Garcia, o plano de retomada parece ser o princípio de uma guinada de posição, onde o comércio e o setor de serviços, dilacerados pela pandemia, terão condições de tentar respirar por um buraquinho na parede, quase intransponível, do desserviço eleitoreiro frente à realidade.

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação, em Jornal

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.