Alunos

A garota das laranjas

Victoria Buijs (Arquivo Pessoal )

Escrito por Victória Ventura Buijs | Colégio Poliedro

01 DEZ 2020 - 17H01 (Atualizada em 02 DEZ 2020 - 13H31)

Captura de Tela 2020-12-01 às 17.03.53

A delicadeza de uma carta de amor pode ser vista no livro “A Garota das Laranjas”, de Jostein Gaarder, por meio das palavras apaixonadas de um pai que está deixando a vida e revelando suas aventuras para o próprio filho através de uma carta deixada em um velho carrinho de bebê.

A história se inicia com Georg, um jovem que mal tem memórias do pai, que faleceu de uma doença terminal quando ele tinha apenas quatro anos. O menino acredita que algumas lembranças apenas vieram das fotos, então ele inicia a leitura da tal carta de despedida que foi encontrada por seus avós, após estar onze anos desaparecida. Já no começo da leitura o garoto resolve escrever “junto” a seu pai, narrando um pouco de sua vida, contando sobre gostar de tocar piano ou de morar com sua mãe, seu padrasto e meia irmã, além de responder as perguntas deixadas por seu pai ao longo da carta.

Simultaneamente com Georg, o livro conta a história de Jan Olav e a Garota das Laranjas, uma mulher encantadora que é inicialmente retratada em um bonde carregando um enorme saco de laranjas, além de ser descrita por Jan como tendo “qualquer coisa de esquilo, era linda e delicada como um deles". A partir desse encontro, surgem as grandes questões do livro que guiam o leitor ao caminhar da história, “quem é a garota das laranjas?” e "por que carrega um saco de laranjas? “

Narrado em primeira pessoa, a história se passa em três tempos, George enquanto lê e responde a carta, com dúvidas sobre como era seu pai, além de incertezas comuns de um adolescente, Jan Olav jovem e apaixonado vivendo suas aventuras com a Garota das Laranjas e com as questões filosóficas de um jovem adulto, e Jan Olav pai, já tendo descoberto seu curto tempo de vida, comovido por reviver e passar adiante essa época maravilhosa de sua vida ao passo que escreve, embora, de uma forma geral, seja Georg quem assuma o posto de narrador principal. O livro não possui capítulos, todavia a história não se torna uma desordem, já que entre esses tempos existem espaços e troca de fonte, dando ao leitor a consciência de quem está falando.

Jan Olav e A Garota das Laranjas vivem um perfeito romance, com encontros e desencontros inesperados, dependendo da sorte para ocorrer novamente. A narrativa simples, mas encantadora, torna esse livro fofo, criando uma história de amor clichê não tão clichê, mesclada com uma história de pai e filho e uma autodescoberta jovem que juntos tornam essa história especial.

Parceria:





Com supervisão de Milena Peres, jornalista da Zan Comunicação, parceira do Grupo Meon.

Escrito por
Victoria Buijs (Arquivo Pessoal )
Victória Ventura Buijs | Colégio Poliedro

Aluna do 2° ano do Ensino Médio do Colégio Poliedro, em São José dos Campos

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Exclusivo | Comissão Pré-Julgadora

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Meon, em Alunos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.