Alunos

Morgana e Kayle: a justa e a caída

Uma história com dois lados, o justo e o misericordioso. Qual deles você escolheria?

Alice Santa Araujo (Arquivo Pessoal)

Escrito por Alice Santana Araújo

18 MAI 2021 - 11H05 (Atualizada em 18 MAI 2021 - 11H25)

Foto: Reprodução jogo meon jovem (Foto: Reprodução)

A história da gêmeas Morgana e Kayle começa antes do nascimento delas. Durante as guerras rúnicas (guerra onde os magos e feiticeiros lutaram pela dominação de Runeterra), os pais das gêmeas procurando reforço para salvar seu povo subiram até o Monte Targon. Um monte difícil de ser escalado e inóspito que tinha mitos de deuses habitarem no pico.  Ao chegarem no topo não encontraram nada, porém, o céu se abriu e a mãe foi abençoada pelo espectro da justiça com uma espada e uma centelha divina. As gêmeas nasceram na descida do monte.

A personalidade da mãe das gêmeas mudou com o passar do tempo, ela parou de agir como uma mortal e começou a agir como uma divindade. Por conta da mudança de personalidade da esposa e como isso afetaria as gêmeas, o pai delas resolveu fugir com as crianças para um abrigo. Durante o crescimento das gêmeas, elas criaram personalidades e ideologias totalmente opostas; Kayle via a mãe como heroína e Morgana buscava entender o lado do pai.

Durante a adolescência delas, um raio partiu no céu e uma espada se partiu em duas, uma parte para cada irmã, fazendo também que nascessem asas nelas (esse evento pode significar que a mãe delas morreu ou que cumpriu seu propósito final). Onde elas viviam, ficaram conhecidas como o símbolo da luz e da verdade.

Enquanto kayle acreditava que tinha que ser justa o tempo todo, Morgana acreditava que as pessoas mereciam redenção e que nem sempre precisavam ser punidas. Porém, Morgana deixou Kayle no comando da cidade e com isso ela criou leis imutáveis e rigorosas em nome da justiça. Quando Morgana percebeu que a justiça de kayle estava passando dos limites elas se enfrentaram no céu e a cidade embaixo delas desabou, causando a morte do pai das gêmeas. Com o fim desse evento, Kayle foi para o Monte Targon para se sentir mais próxima da mãe e Morgana se sentiu amaldiçoada com a herança, acorrentando suas asas e renunciando sua divindade.

Com o passar dos anos, o legado de Morgana foi esquecido e Kayle ficou conhecida como a protetora alada, um símbolo de Justiça no reino de Demacia (que se formou depois da guerra). 

Com supervisão de Giovana Colela, jornalista do Meon Jovem. 

Escrito por
Alice Santa Araujo (Arquivo Pessoal)
Alice Santana Araújo

3º ano A do Ensino Médio - Escola Estadual Elmano Ferreira Veloso - São José dos Campos.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Exclusivo | Comissão Pré-Julgadora

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Meon, em Alunos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.