Brasil

Jogador do Corinthians é investigado por morte de menina

Mulher de 19 anos morreu nesta terça (30)

Escrito por Meon

31 JAN 2024 - 08H43

Vitor Chicarolli / Meu Timão

Na noite desta terça–feira (30), um jogador das categorias de base do Corinthians foi encaminhado ao 30º Distrito Policial do Tatuapé após a morte de uma menina.

+ Leia mais notícias do Brasil

+ Receba as notícias pelo Canal do Meon no WhatsApp

O caso envolve o atacante Dimas, da categoria Sub-20, e tem como vítima uma mulher, de 19 anos. Um atleta do Sub-17, menor de idade, também foi encaminhado ao local, mas apenas para prestar depoimento.

O tenente Sarri, da 5ª Companhia do Oitavo Batalhão, responsável pelo período noturno do DP, detalhou que a vítima deu entrada no Hospital Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo, com hemorragia intensa na parte genital, que ocasionou quatro paradas cardiorrespiratórias, levando a óbito pouco tempo depois.

"As viaturas da 5ª Cia do Oitavo Batalhão, no período noturno, foram acionadas para fazer uma averiguação no Hospital Tatuapé. Foi uma menina de 19 anos que deu entrada no hospital com hemorragia intensa na parte genital. Essa hemorragia ocasionou algumas paradas cardiorrespiratórias seguidas. Ela chegou a ser socorrida pela equipe do SAMU, só que no PS (Pronto Socorro) Tatuapé, ela veio a óbito", disse o tenente Sarri.

Segundo a polícia, Livia Gabriele da Silva Matos estava no apartamento de Dimas, quando foi levada ao pronto-socorro do Tatuapé depois que o jogador acionou uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O atleta ainda afirmou que, durante a relação sexual, a jovem desmaiou e, a partir daí, ele ligou para o Samu e prestou o socorro.

A vítima estava no apartamento de Dimas. A polícia, agora, vai ouvir o jogador para esclarecer os fatos. A defesa do atleta só irá se pronunciar após o laudo médico ser divulgado com os detalhes da causa da morte da jovem.

O outro jogador encaminhado ao DP é da categoria Sub-17, mas seu nome será mantido em sigilo por se tratar de um menor de idade. O atleta, porém, não estava na cena do crime. Ele teria ido levar um carregador de celular para Dimas no hospital após o ocorrido. Quando a polícia chegou, o levou junto como testemunha. Além dos advogados dos atletas, os empresários também estiveram presente no DP para auxiliar.

*Com informações de Meu Timão

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Meon, em Brasil

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Carregando ...