Por Vinicius Assis Em RMVale Atualizada em 15 SET 2020 - 10H37

Família de gambás é resgatada após ficar presa em condomínio de Caraguá

No mesmo dia um gambá precisou ser resgatado após se ferir em um incêndio

Divulgação/Polícia Ambiental
Divulgação/Polícia Ambiental
A família estava assustada quando foi encontrada


Uma família com nove gambás precisou ser resgatada após ficar acuada em um condomínio na Martim de Sá. O caso foi registrado nesta segunda-feira (14) e os marsupiais já foram devolvidos para o habitat natural.

No local havia uma mãe com oito filhotes, que ficaram encolhidos por medo de outros animais domésticos que passavam pelo local. A Polícia Ambiental usou “técnicas de manejo e captura de animais silvestres” para não machucar a família e conseguiu fazer o resgate.

Todos os nove marsupiais estavam com condições de saúde adequadas e foram devolvidos a natureza sem precisar passar por avaliação de especialistas.

A espécie não corre risco de extinção, mas são frequentemente alvos de extermínio. Os gambás não oferecem nenhum risco aos humanos. Apesar da fama de serem fedidos, a espécie que é encontrada no Brasil não possui a característica dos gambás norte-americanos, que possuem a glândula que solta o odor como defesa.

Divulgação/Corpo de Bombeiros
Divulgação/Corpo de Bombeiros
O gambá resgatado foi levado para a Univap para ser socorrido


Outro caso envolvendo um gambá foi registrado ainda nesta segunda-feira em Paraibuna. O marsupial precisou ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros após se queimar em um incêndio florestal na beira de uma rodovia.

O caso aconteceu pela manhã, próximo ao km 30 da Rodovia dos Tamoios. O Corpo de Bombeiros estava atendendo uma ocorrência com múltiplos focos de incêndio em uma área com plantação de eucaliptos quando encontrou o pequeno gambá. O animal estava todo queimado no momento que foi resgatado.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o gambá havia sofrido muito com o incêndio. Ele estava muito debilitado e sem forças para andar. Os cuidados adotados para atender o marsupial foi semelhante aos que seriam aplicados em um humano queimado. Os bombeiros tiveram que ser cuidadosos para não retirar a pele do animal, que já estava frágil.

Ele foi levado para a Univap (Universidade do Vale do Paraíba), onde receberá tratamento. Apesar disso, ainda não se sabe se ele vai sobreviver, já que estava muito queimado no momento do resgate, caso isso aconteça, ele pode ter sequelas, como ficar cego. Não foi informado qual o estado de saúde do marsupial.

A espécie não corre risco de extinção, mas são frequentemente alvos de extermínio. Apesar disso os gambás não oferecem nenhum risco aos humanos. Apesar da fama de serem fedidos, a espécie que é encontrada no Brasil não possui a característica dos gambás norte-americanos, que possuem a glândula que solta o odor como defesa.

Os gambás são considerados marsupiais – como coalas e cangurus - por conta das fêmeas terem bolsas onde carregam os filhotes até que as crias cheguem a idade adulta.

A reprodução da espécie acontece entre os meses de setembro e dezembro. Cada ninhada gera em média seis filhotes, mas esse número pode chegar a 14 indivíduos e os filhotes ficam dentro de uma bolsa por 46 dias. Após 60 dias, os filhotes saem do marsúpio e ficam agarrados às costas da mãe.

Divulgação/Polícia Ambiental
Divulgação/Polícia Ambiental
Gambás não oferecem risco aos humanos


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Vinicius Assis, em RMVale

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.