1551689_636328793096164_804251270_n

Atleta afirma que não houve critério para os cortes

Divulgação

Decepção e incredulidade. É assim que o meio de rede Rodolpho define o que está sentindo depois de ser demitido do São José Vôlei na noite desta sexta-feira (23). De cabeça quente e medindo as palavras para não deixar o nervosismo tomar conta, o ex-capitão da equipe afirma que o clima no grupo estava ruim desde a chegada do técnico Alexandre Rivetti.

O jogador, mais o oposto Jean e o levantador da base Edvaldo foram notificados da decisão da diretoria em uma sala no Tênis Clube, onde o time realiza os treinamentos.

“Eles disseram que nos mandaram embora por falta de verba. O que eu acho muito injusto e estranho nessa história toda é que, desde que o novo técnico assumiu, nós estamos no banco. Então como cobrar desempenho de quem nem sequer está jogando?”, questiona.

Rodolpho evita falar em grupo rachado ou complô para derrubar o técnico. Entretanto, deixa claro de que existe um desgaste dos atletas com a comissão técnica.

Capitão na campanha que deu o título da Superliga B ao São José, o central agora sente-se traído pela diretoria. De acordo com ele, o esforço na divisão de acesso não foi levado em consideração.

“Morávamos em alojamentos pequenos, jogamos em quadras inapropriadas para a prática do esporte, nos esforçamos, conseguimos resultado e, agora, somos tratados desta forma. É muito difícil falar sobre isso”, completa.

O São José é o vice-lanterna da Superliga, com apenas oito pontos conquistados. Em meio à crise, o time viaja nesta quarta-feira (28) para Belo Horizonte, onde encara o Minas. Os adversários ocupam a quinta colocação na tabela. O jogo acontece às 19h30 na Arena Minas.