size_960_16_9_mulher_lendo_livro_em_biblioteca4

Leitura é fundamental para elevar o capital intelectual

Arquivo

Capital intelectual é o conjunto de conhecimentos e informações, ou seja, a soma do capital humano e o capital estrutural. Pode ser definido como sendo a inteligência, a habilidade e os conhecimentos humanos. Esses conhecimentos podem ser tácitos - advindos das experiências ao longo da vida, ou explícitos - são estruturados, criptografados e armazenados, sendo possível sua transmissão a outras pessoas.

Observamos que, nas últimas décadas, ocorreram grandes mudanças com o rápido processo de globalização que por um lado, fez com que as economias por todo o mundo passassem a manter independência, mas por outro lado, aumentou ainda mais o nível de concorrência mundial; a informatização, a conscientização do real valor do saber humano e o aumento da valorização dos ativos intangíveis por parte das organizações.

Um dos pesquisadores sobre o assunto afirma que uma nova ordem social e econômica, o capitalismo intelectual, emergiu a medida que duas principais correntes de eventos convergiram.

São elas:

1. A transição para uma sociedade baseada principalmente em conhecimento científico e tecnológico, ou sociedade da informação;

2. O fortalecimento de fato, de macro sistemas econômicos capitalistas. Isto significa, implicitamente, preocupações com a gestão da inovação tecnológica baseada em conhecimento intelectual e de informação.

É evidente que as pessoas que querem se desenvolver, passam uma crescente parcela de suas vidas, em processos de estudos, formação acadêmica, especialização e treinamento técnico-científico. As empresas têm se tornado dependentes de competências de diversos tipos e sempre baseadas em conhecimento.

É a consequência histórica do processo de ensino-aprendizado cumulativo de gerações de indivíduos e da disposição dos pesquisadores, cientistas e estudiosos, que trabalharam com a finalidade de atenderem às demandas do mercado, de forma a permitir que as organizações sejam conduzidas em sua busca de produtividade, qualidade e lucratividade.

Naturalmente, muitos fatores influenciaram este movimento coletivo e contínuo de aprendizado, mas irreversível enquanto resultado. A constatação de avanços em ciência e tecnologia e o aparecimento de tecnologias de gerenciamento de dados e conhecimento, produção de informações e comunicação em particular são componentes especialmente importantes para o processo de aprendizado por trás desta transição.

De certa forma, o que está implícito neste processo é um dispositivo de que se não forem absorvidos pelo sistema, correm grande risco de termos indivíduos que não conseguirão disseminar os conhecimentos e literalmente irão jogá-los pelo ralo.  Outra pesquisa realizada, afirma que é cada vez mais amplo o consenso sobre o que o conhecimento realmente significa, e muitos aceitam que o conhecimento aplicado é um fator competitivo fundamental e indispensável.

A acumulação, transformação e avaliação estão situados no universo da gestão do capital intelectual, compondo ferramentas importantes no campo da gestão dos negócios. O capital intelectual, em contraste com o capital físico e financeiro, inclui recursos de conhecimento que podem ser utilizados pelas organizações, pois são passíveis de combinar, transformar, explorar, mensurar, avaliar e receber um valor para fins de capitalização em função do seu potencial de uso futuro.

A maior parte do valor do capital intelectual das empresas públicas ou privadas, está atada aos saberes individuais e às formas de relacionamento interpessoais, e isso pode se mostrar dispendioso, especialmente se um empregado é dispensado ou se aposenta sem ter explicitado e disseminado seu conhecimento a outros dentro das organizações.