Blog e Colunas

EntRHevista com Maurício Louzada: O poder da iniciativa e sua importância para profissionais e empregadores

Maurício Louzada é palestrante internacional, Top of Mind de RH e Top of Business e ministrou palestras para mais de 2 milhões de pessoas em diversos países

Ceci RH

Escrito por Ceci Sousa

15 ABR 2021 - 15H28 (Atualizada em 15 ABR 2021 - 17H00)

Maurício Louzada

Você é um profissional que sabe trabalhar em equipe, é organizado, possui alta capacidade de planejamento e acredita ter os requisitos comportamentais para conseguir uma oportunidade? É bom ficar atento e refletir, pois talvez precise ter algo a mais para se destacar consideravelmente.

Na entrevista os recrutadores avaliam diversos aspectos comportamentais nos profissionais, que são decisivos para a contratação. Para Louzada, a iniciativa é uma das características que os empregadores mais valorizam.

“O conhecimento, a formação, tudo isso é muito importante na hora de você ser contratado numa empresa. Quem está contratando avalia como essa pessoa se formou, o que ela conhece, quais são os cursos que ela tem e tudo mais. Isso na hora da contratação é muito importante, e claro, associado à dinâmicas. Geralmente o profissional que contrata consegue avaliar como é a interação desse profissional no dia a dia de trabalho. Porém, após a contratação, o que mais vale é associar todo esse conhecimento, toda essa bagagem de formação à iniciativa, porque se o profissional tiver todo um conhecimento, uma boa formação, um excelente diploma, mas não conseguir colocar isso em prática, de nada vai adiantar”, ressalta. 

A contratação gera grandes expectativas tanto para o profissional quanto para o empregador. “Assim como o colaborador espera receber um bom salário, ter reconhecimento e uma possibilidade de crescimento, quem contrata geralmente espera dessa pessoa - a iniciativa - fazer o que precisa ser feito e não esperar que alguém mande”, diz.

Louzada ainda cita quatro perguntas que, segundo ele, “todo profissional deveria conseguir fazer uma autorreflexão sobre o quanto ele tem iniciativa”:

1ª pergunta: Eu faço o que precisa ser feito por iniciativa própria ou espero que alguém me mande fazer?

Eu olho as pendências? Eu olho o objetivo da empresa e consigo me contextualizar dizendo: para atingir este objetivo eu tenho que ter essa iniciativa, essa ação?

2ª pergunta: Eu resolvo problemas ao invés de criá-los ou transferi-los?

A iniciativa ela serve pra isso, para você desamarrar aquilo que não está indo bem, para cumprir um objetivo, uma tarefa que foi designada. Muitas pessoas criam problemas ou quando os vê transferem para os demais.

3ª pergunta: Eu me contrataria se fosse a pessoa responsável pela seleção?

Geralmente quem está num cargo, participou de um processo seletivo disputando com outras pessoas. E essa pessoa foi escolhida. Dentre todas as pessoas que estavam disputando comigo, será que a empresa fez uma boa escolha ao me contratar? Será que eu vou conseguir resolver os problemas dessa empresa? Isto está diretamente relacionado à iniciativa, porque se a empresa fez uma boa escolha ao me contratar, significa que eu vou fazer algo pela empresa.

Todo profissional deveria todos os dias provar para a área de seleção que ela fez uma boa escolha quando o contratou, e a iniciativa é uma forma de provar isso.

4ª pergunta: Qual é meu propósito pessoal e profissional?

Muitas pessoas estão trabalhando esperando chegar o dia do pagamento. Elas ficam ali, ansiosas pra chegar o dia 5 (pagamento), dia 20 (o vale), e o objetivo é esse. Quando o meu objetivo é simplesmente ter o meu salário, então não vou ter iniciativa necessária para conseguir cumprir os desafios e os propósitos num mundo globalizado, com tanta competição. Eu preciso entender que tenho que ter um propósito pessoal de crescimento. Eu tenho que associar as minhas metas do trabalho, as minhas metas pessoais, as minhas metas de vida, e eu tenho que ter um propósito profissional. O quanto eu quero crescer? Onde eu quero chegar? Quando eu tenho esse propósito pessoal e profissional em mente, automaticamente a minha iniciativa ela se faz mais presente, por quê? Porque para atingir estes propósitos eu tenho que entregar resultados e eles vêm da ação, de fazer acontecer! Os resultados vêm da iniciativa.

*Maurício Louzada- É palestrante internacional, Top of Mind de RH e Top of Business, ministrou palestras para mais de 2 milhões de pessoas em diversos países. Os temas variam desde motivação, superação, resiliência, desenvolvimento pessoal e de liderança, a conteúdos relacionados à saúde, segurança e meio ambiente.

Escrito por
Ceci RH
Ceci Sousa

Blogueira, Consultora de Recursos Humanos, Especialista em Recolocação Profissional, LinkedIn Influencer, Colunista, Administradora, Empreendedora e Palestrante.

Mais de 12 anos atuando direta e indiretamente na área de Recursos Humanos. Possui projetos gratuitos para candidatos que buscam oportunidade de emprego, além de diversos grupos de vagas.

Contato: www.cecirh.com.br

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Meon, em Blog e Colunas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.