Vista aérea da represa


Igaratá, a Cidade das Águas

Igaratá preserva suas belezas naturais e as tradições do povo que viu a cidade ser inundada em 1969 para a construção da Represa do Jaguari, que hoje é o principal atrativo turístico da cidade.

Cercada por uma natureza exuberante, entre vales e montanhas, um passeio pelo majestoso reservatório proporciona um cenário cinematográfico que muda ao longo do dia, dependendo do tempo e da posição do sol. A represa é ideal para passeios de barcos, jet ski e lanchas, e atrai amantes da pesca, que costumam encontrar ali bagres, tilápias, lambari e tucunaré.

A cidade atrai a simpatia de qualquer visitante ao primeiro contato e torna-se ainda mais apaixonante à medida que se descobrem os seus encantos. Na zona rural, trilhas e cachoeiras em meio à mata atraem turistas que buscam maior contato com a natureza, e também ciclistas e motoristas ‘off road’.

Entre os locais de visita obrigatória na cidade estão, além da represa e sua prainha, a Cachoeira do Ribeirão das Palmeiras e o Morro Azul. No calendário oficial de eventos, destacam-se tradicionais manifestações culturais, como a cavalhada e a Festa da Carpição.

A ampla rede de serviços torna Igaratá ainda mais interessante. A cidade possui spas, pousadas, empresas náuticas, pesqueiros, restaurantes, casa de artesanato, estância naturista e uma estância de ecoterapia, entre outras instalações destinadas ao turista.

Por tudo isso, o município faz jus ao slogan: Igaratá, a cidade que a gente merece!

Saiba mais
Saiba mais
Saiba mais

História

O nome “Igaratá” vem do Tupi – “Igara” significa barco/barca, canoa indígena. O significado mais conhecido é “canoa alta”, porém há registros do significado ser “canoa grande”, ou "canoa forte ou resistente".

Não há registros que conte toda a origem do povoado de Igaratá. Nascida no fundo do vale do rio do Peixe, quase na confluência do rio Jaguari, surgiu o pequeno amontoado de casas em torno de uma capela. Nem mesmo anotações batismais ou de casamentos registram a passagem das missões pela aldeia. O primeiro registro oficial marca o início da primeira fase da história da cidade. No dia 19 de abril de 1864, a Capela de Nossa Senhora do Patrocínio é levada à categoria de Freguesia e anexada à Comarca de São José dos Paraitininga. Quatro anos depois, no dia 9 de Maio de 1.868, a Freguesia muda de Comarca, com anexação ao município de Santa Isabel.


Vista aérea da represa


Em 23 de abril de 1863, com o mesmo nome, pela lei n.º 80 do Imperador, foi transformada em Município e anexada à comarca de Jacareí. O nome Igaratá, denominação de canoas com encostados altos, utilizada pelos índios guaranis que viviam na região passou a designar o nome da cidade em 22 de dezembro de 1.906, através da lei n.º 1402.

Como município, constituiu-se apenas como distrito de paz de Igaratá, e assim foi até que, em 21 de Maio de 1934, o município foi extinto e anexado novamente a Santa Isabel. Em 1.954, pela lei 2456 de 30 de Dezembro tornou-se novamente independente e, emancipado administrativa e politicamente, condições em que permanece até hoje.

No início dos anos 60, surgiu o projeto de construção de uma represa que produzisse energia para satisfazer as necessidades de desenvolvimento do Vale do Paraíba. Por sua condição de ribeirinha do Rio Jaguari, decidiu-se sacrificar o município. Com muitos esforços e dedicação das autoridades municipais, em 1968 surgiu a esperança de se reconstruir a cidade em outro sítio. Em 24 de abril de 1969 chegaram às primeiras máquinas para a construção da Nova Igaratá, marcando o início da Segunda fase da história do Município.

A “Nova Igaratá” nasceu, oficialmente, em 5 de dezembro de 1969, a três quilômetros da “Igaratá velha”. Todos os moradores da velha foram transferidos para a nova cidade, construindo suas casas em terreno doado pela CESP (Centrais Elétricas de São Paulo). Os que eram de fora ou não moravam na cidade velha poderiam comprar terrenos, se quisessem, e no início o preço era bem baixo para incentivar e promover o progresso local. Aos poucos foi construído ginásio, escola, delegacia de polícia, prefeitura e outras repartições.

Fonte: Prefeitura de Igaratá


Cachoeira do Zé Grande


Vídeo


Raio X

Prefeito

Celso Fortes Palau (2017-2020)

População

População estimada [2017] - 9.443 pessoas

População no último censo [2010] - 8.831 pessoas

Densidade demográfica [2010] - 30,14 hab/km²

Trabalho e Rendimento

Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016] - 2,0 salários mínimos

Pessoal ocupado [2016] - 1.807 pessoas

População ocupada [2016] - 19,2 %

Educação

Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010] - 99,1 %

IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015] - 5.7

IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015] - 4.6

Economia

PIB per capita [2015] - R$ 17.577,18

Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015] - 69,9 % Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010] - 0.711

Saúde

Mortalidade Infantil [2014] - 23,44 óbitos por mil nascidos vivos

Estabelecimentos de Saúde SUS [2009] - 1 estabelecimentos

Hino

Quantas saudades que eu sinto
do recanto onde nasci
Das cachoeiras cantantes
que mais linda ainda não vi
Das suas matas seus campos
e seus velhos coqueirais
Das suas folhas de leque
à mercê dos vendavais
Eu canto ó minha terra
pedacinho do Brasil
onde tudo é tão bonito
com seu céu azul de anil
Quando amanhece as aves de lá
gorjeiam saudando a Igaratá

Letra e Melodia de: Petronilha Araújo de Sousa
Código Personalizado
Código Personalizado
IGARATÁ

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação, em Igaratá

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.