Por Arthur Sabino Roque Em Alunos Atualizada em 08 JUN 2021 - 10H18

LEGO

Conheça a história dos famosos bloquinhos de montar

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução


Às vezes, é em meio a crises que surgem oportunidades. Um exemplo disso é a história do lego. Em 1932, na cidade de Billund, um habilidoso carpinteiro com o nome de Ole Kirk Christiansen, era muito respeitado e tinha sua própria empresa, porém ela estava passando por uma crise financeira. Por isso, teve que demitir todos os seus funcionários, até os melhores. Para piorar, não muito depois, sua esposa faleceu.

Além de ter que bolar uma nova estratégia de negócios, tinha quatro filhos para cuidar, mas Ole não desistia tão facilmente. Logo começou a criar brinquedos para seus pequenos; a alegria deles foi tanta que Kirk teve a brilhante ideia de começar uma empresa de brinquedos.

Em sua oficina, havia madeira o suficiente para muitos brinquedos e contou com a ajuda do seu filho Godtfred Kirk Christiansen; assim conseguiram manter a produção.

A fama dos brinquedos de alta qualidade se espalhou e logo a pequena oficina recebeu grande quantidade de encomendas, sendo necessária a contratação de funcionários. Mas a alegria durou pouco, pois logo mais a empresa recebeu uma carta dizendo que o atacadista tinha ficado sem dinheiro suficiente para comprar seus brinquedos e diante disso resolveu vender os brinquedos; desse modo conseguiu manter seus compromissos financeiros.

Avaliando que as vendas não estavam tão rápidas como o esperado. Achou que precisavam de um novo nome para a empresa, então veio o nome Lego. Para o latim, Lego significa “eu junto”. Em 1936 a empresa ganhou 3.000 coroas e Ole queria comprar uma máquina que ajudaria na carpintaria.

Ao fim da década de 1930, a Lego estava lucrando, até em plena 2ª guerra mundial eles faziam seu melhor. Parecia que nada podia estragar isso, mas em uma noite turbulenta de 1942 tudo mudou; o vento foi tão forte que rompeu os fios de eletricidade ligados à oficina, então um enorme incêndio começou na oficina e destruiu tudo, os desenhos e modelos.

Os bombeiros não conseguiram salvar a oficina quando chegaram. Ole estava perdendo esperança, mas seu dever com seus filhos e funcionários o inspirou a reconstruir a oficina. E assim foi feito. Logo uma nova oficina foi construída e suas produções voltaram.

Em 1946, em Copenhage, Ole foi a uma feira para ver uma nova máquina que tinha chegado a Dinamarca, que servia para moldar plástico. Ele guardou um bloco desses e levou para casa. A empresa comprou a máquina, e quando ela chegou começaram a fazer ursinhos de plástico. Logo usaram para reprojetar os blocos da feira e colocaram em produção; e foi quando a Lego lançou os tratores que os blocos de plástico viraram um sucesso.

As vendas estavam caindo fora do natal, então Godtfred decidiu ir vender os brinquedos pessoalmente, levando sua atual esposa, Edith. Esta viagem pelo país ajudou a tirar a Lego da crise financeira, eles voltaram a tempo para a festa de aniversário de Ole que completava 60 anos.

Em uma viagem de negócios para a Inglaterra, em 1954, o futuro dono da empresa estava conversando com o presidente de um shopping Center. Disse que o brinquedo não tinha nenhum sistema criativo, então Godtfred botou um sistema na brincadeira, um exemplo foi a cidade Lego, que ensinava muito sobre trânsito.

Então ele percebe que os blocos desmontavam muito facilmente, depois de muito pensar Godtfred viu que se encaixam mais facilmente com tubos dentro. Isto foi um sucesso internacional. Uma pena foi que Ole não pôde ver o sucesso que foram os blocos, Godtfred ficou sozinho e passou por outro incêndio, destruindo grande parte da produção de madeira, ele sabia que assim como seu pai devia manter a cabeça erguida.

Outra fábrica foi construída e decidiram abandonar a produção de madeira e focar apenas nos blocos de montar. Foi um grande sucesso!

Godtfred decidiu construir um aeroporto e muitas pessoas queriam ver o departamento de criação. Porém, a empresa queria um lugar maior para exibir os Legos, então ele pensou em um parque temático só de Lego, Legoland. Ele esperava uns 200 ou 300 mil visitantes, embora parecesse muito, o senhor Kirk errou a conta... Foram 600 mil visitantes só no primeiro ano. E foi assim como tudo começou, a origem do Lego.

Com supervisão de Giovana Colela, jornalista do Meon Jovem. 

Escrito por
Artur (Arquivo Pessoal)
Arthur Sabino Roque

4ª A do Ensino Fundamental I - Escola Estadual Henriqueta Costa Porto - São José dos Campos.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Exclusivo | Comissão Pré-Julgadora

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Meon, em Alunos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.