Alunos

Poema: Respeito à diversidade

Não julgue as diferenças de um corpo

Gabriela Rossi

Escrito por Gabriela Rossi Alves

21 JUN 2022 - 15H25

Arquivo pessoal

Nossa pele seja ela negra, branca, parda, amarela ou indígena

Não nos torna menos humanos do que outro ser humano

Não define nosso valor

Não é justo deixar que isso seja motivo de dor ou morte, por causa de uma cor

Cor não deveria definir o sofrimento de uma vida, ser um mérito ou uma vergonha vivida

A luta de uma sociedade dividida

Cabelo loiro, preto, rosa, branco, liso ou crespo

Não julgue as diferenças de um corpo

A cor da pelo não define nosso caráter e se somos ou não marginais

A cor da pele não nos torna inferior

O que importa é o nosso interior 


Com supervisão de Yeda Vasconcelos, jornalista do Meon Jovem. 




Escrito por
Gabriela Rossi
Gabriela Rossi Alves

1º ano do ensino médio - Colégio Ideia - São José dos Campos, SP

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Exclusivo | Comissão Pré-Julgadora

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Meon, em Alunos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.