Por Meon Em RMVale Atualizada em 28 OUT 2020 - 12H00

Com sistema de supercomputação ultrapassado, INPE deve adquirir novos equipamentos até o fim do ano

Aquisições serão para suprir necessidades temporárias; em dois ou três anos, novo supercomputador com maior capacidade de processamento deve ser adquirido

Divulgação/CPTEC/INPE
Divulgação/CPTEC/INPE


O sistema de supercomputação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) está ultrapassado. Para suprir as necessidades, novos equipamentos devem ser adquiridos até o fim do ano. Mas em um futuro breve, um novo supercomputador com maior capacidade de processamento deve ser adquirido.

Ivan Márcio Barbosa, Coordenador de Infraestrutura de Dados e Supercomputação do INPE, explica que a maior parte do sistema de supercomputação atual do instituto foi adquirida em 2010, estando atualmente ultrapassada. Isso porque o sistema já atingiu o tempo de vida útil. O que eleva consideravelmente os gastos com manutenção.

Para suprir as necessidades do momento, novos equipamentos devem ser adquiridos até o fim do ano e instalados no primeiro semestre de 2021. “A aquisição pretendida contempla dois cluster de processamento de alto desempenho - que são classificados como supercomputador - e que possuem capacidade computacional similar à atual. Essa aquisição pretendida nesse ano é uma ponte para uma outra aquisição de supercomputador com capacidade maior de processamento que deve ocorrer no prazo de dois a três anos, uma vez que essa nova aquisição exigirá adequações e atualizações nos sistemas de energia elétrica e de ar condicionado.”, explica o coordenador.

Para adquirir o novo sistema completo de supercomputação, o especialista diz que serão necessários R$ 150 milhões, para serem usados em equipamentos e renovação de infraestrutura.

Recursos financeiros

“O INPE tem envidado esforços para a aquisição de um novo supercomputador que atenda às necessidades atuais de processamento de grandes volumes de dados e que permita que a Instituição mantenha o estado da arte na previsão numérica de tempo e de clima.”, comenta Barbosa.

Ele explica que após a apresentação de emendas parlamentares em 2015 e 2016, no ano de 2017 foram liberados recursos financeiros para modernizar o sistema de supercomputação do INPE. Incluindo remanejamentos orçamentários, foram liberados R$ 10 milhões.

“O contrato com a empresa fornecedora da atualização tecnológica foi assinado em 15/12/2017 e os trâmites de importação dos equipamentos foram realizados em 2018, com a instalação de um módulo denominado CRAY XC-50 com cerca de 4000 processadores e que atualmente está dedicado à operação do CPTEC, pois é um sistema pequeno para atender operação e pesquisa simultaneamente.”, conta Ivan.

Supercomputador

O coorn explica que o INPE conta com um sistema de computação de alto desempenho, formado pelo sistema de supercomputação Cray XE6 e Cray XC-50 e seus periféricos.

Os equipamentos “são utilizados em atividades rotineiras, nas atividades operacionais de previsão numérica de tempo e de clima sazonal e nas atividades de pesquisa e desenvolvimento das áreas de meteorologia, oceanografia e do sistema terrestre”.

Eles também são utilizados “no processamento de modelos de pesquisa que investigam os potenciais impactos das mudanças climáticas globais, pela Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas (Rede Clima), por pesquisadores do Estado de São Paulo do Programa FAPESP de Pesquisas em Mudanças Climáticas Globais e pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN).”

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Meon, em RMVale

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.