RMVale

Justiça do Trabalho vai julgar ação de demissão de 2.500 funcionários da Embraer

Processo é referente à ação movida pelo Sindicato dos Metalúrgicos e irá acontecer no dia 10

Escrito por Fernanda Niquirilo

03 FEV 2021 - 13H29 (Atualizada em 04 FEV 2021 - 10H52)

Arquivo/Meon

A Justiça do Trabalho vai julgar na próxima quarta-feira (10), a ação pela demissão de 2.500 trabalhadores que aconteceu em setembro de 2020 na Embraer em São José dos Campos. A autoria é do Sindicato dos Metalúrgicos que pedem a reintegração desses trabalhadores.

O Tribunal Regional do Trabalho da 15ª região marcou a audiência para às 13h30, por videoconferência.

O sindicato alega que a empresa fez os cortes sem buscar alternativas para minimizar o impacto social provocado. Foram 1,6 mil adesões aos PDVs, mas como o volume não atingiu a meta necessária, a Embraer anunciou mais 900 cortes. A empresa alega que tentou por três vezes negociar os PDVs com o sindicato e a proposta não foi levada para assembleia.

“As demissões realizadas pela Embraer são inaceitáveis. É falso o argumento de que os cortes foram consequência da pandemia. A irresponsabilidade e ganância da direção e dos acionistas da empresa são a verdadeira razão da demissão em massa. Por isso, estamos lutando para que todos os trabalhadores demitidos em setembro de 2020 tenham seus empregos de volta”, conclui o presidente do Sindicato, Weller Gonçalves.

“O que de fato gerou prejuízos à Embraer foram as tratativas de venda para a Boeing. O processo de transição custou à empresa brasileira algo em torno de R$ 1 bilhão. Depois de dois anos de negociação, o acordo fracassou e a Embraer ficou com um rombo em seu orçamento. A conta foi paga pelos trabalhadores, com seus empregos”, afirma Márcio José Barbosa de Morais, diretor do Sindicato.

O que diz a Embraer 

"Em setembro de 2020, o Tribunal Regional do Trabalho concedeu liminar para concessão de plano de saúde e auxílio alimentação no valor de R$ 450 até junho de 2021, em audiência de conciliação realizada entre a Embraer e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos.

Essa decisão coincidiu com a proposta apresentada pela empresa durante as audiências anteriores no TRT e aprovada pela maioria das entidades sindicais que representa profissionais da companhia pelo Brasil. Em todas as negociações, a Embraer reforçou o compromisso de preferência na recontratação dos ex- colaboradores, conforme retomada do mercado e política de recursos humanos da companhia.

A Embraer aguardará agora o julgamento final do TRT.

Desde o início da pandemia, a empresa adotou uma série de medidas para preservar empregos e reduziu o trabalho presencial nas plantas industriais com o objetivo de zelar pela saúde dos colaboradores e garantir a continuidade dos negócios".     

Prejuízos

A Embraer registrou prejuízo de R$ 2,95 bilhões nos primeiros seis meses de 2020. Somente no segundo trimestre, o prejuízo líquido foi de R$ 1,68 bilhão, pior resultado para um trimestre em 20 anos. Segundo a empresa, no primeiro semestre do ano passado, foram entregues somente quatro aeronaves comerciais e 13 executivas, consequência da pandemia do Coronavírus.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro!

Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou de uma informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Fernanda Niquirilo, em RMVale

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Carregando ...