galinhas_dangola_parque_cidade_2

Aves estão soltas e espalhadas pelo parque

Claudio Vieira/PMSJC

A Prefeitura de São José dos Campos anunciou uma medida inusitada e curiosa para o combate dos carrapatos no Parque da Cidade: galinhas d´angola agora estão soltas, espalhadas pelo parque.

No mês passado, a prefeitura anunciou uma operação especial de aplicação de carrapaticida por toda a extensão do parque. A medida foi tomada após uma mãe fazer um post no Facebook, que viralizou. Na postagem ela mostrou fotos dos filhos com várias picadas de carrapato pelo corpo, dias após visitar o parque, e pedia providências.

As picadas do carrapato estrela, que é a espécie que teria causado a infestação no Parque da Cidade, transmitem uma doença grave: a febre maculosa.

As aves estão na Casa da Ilha, nas proximidades do lago onde vivem mais de cem capivaras, principais hospedeiros e disseminadores de carrapatos no Parque da Cidade.

Segundo informações da prefeitura, o objetivo é proteger e oferecer conforto os frequentadores do parque.

As galinhas-d'angola são predadoras naturais e têm participação importante no controle biológico, auxiliando no equilíbrio ecológico uma vez que elas se alimentam dos insetos sem agredir o meio ambiente.

O trabalho de controle da praga está sendo realizado em conjunto pelas secretarias de Manutenção da Cidade, Urbanismo e Sustentabilidade e Educação e Cidadania.

Ajuda costumeira

Essa não é a primeira vez que as aves auxiliam em ações de combate a insetos e animais peçonhentos na cidade. Em abril deste ano, a Urbam (Urbanizadora Municipal) também anunciou a ajuda das galinhas em uma tentativa de combater os escorpiões no Cemitério Maria Peregrina, em Santana (norte).

A doença

A picada do carrapato estrela, espécie que é encontrada no Parque da Cidade, é perigosa porque pode causar a febre maculosa.

A doença é uma infecção causada pela bactéria Rickettsia rickettsii após a picada de um carrapato e tem tratamento. Mas deve ser iniciado o quanto antes, com antibióticos, para evitar complicações graves como inflamação do cérebro, paralisia, convulsões, insuficiência respiratória ou insuficiência renal, que podem levar à morte.

Na última quinta-feira (10), uma criança de 2 anos morreu, em Jacareí, com suspeita de febre maculosa.