protesto_motoristas_da_uber

Motoristas da Uber protestaram por medidas de segurança

Felipe Kyoshy/Meon

O aplicativo Uber bloqueou o embarque de passageiros na zona sul de São José dos Campos, em bairros como Campo dos Alemães, Jardim Nova República e Dom Pedro I e Dom Pedro II . Estes são considerados com as maiores incidências de assaltos de motoristas na cidade. A interrupção do serviço iniciou na tarde desta quinta-feira (10).

A medida foi no mesmo dia em que motoristas da Uber protestaram em frente ao escritório da empresa em São José. Ainda nesta semana, um condutor que trabalhava para o aplicativo foi vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte) durante uma corrida.

“Infelizmente a nossa cidade anda perigosa. O aplicativo como atitude extrema, bloqueou a região. Era uma solicitação antiga por segurança”, comenta um motorista que preferiu não se identificar.

No entanto, estes bairros seguem liberados para destinos finais das corridas. Outro motorista, que também não quis revelar a identidade, disse que medida ainda não resolverá o problema de segurança dos condutores.

“Eu acho que foi uma decisão arbitrária. Tem muita gente de bem nesses bairros e que precisam de serviço. Não deveriam fazer isso e poderiam fazer outras coisas para melhorar a nossa segurança. Eles têm tecnologia suficiente para isso”, disse o motorista.

Dentre as reivindicações dos motoristas está a verificação de documentos dos passageiros e que os motoristas saibam qual será o destino da viagem antes mesmo de aceitar ou não a corrida. Um abaixo-assinado com cerca de 200 assinaturas foi entregue à empresa nesta quinta-feira.

Polícia admite que Uber é alvo

Segundo o capitão da Polícia Militar Arlindo Albergaria Junior, a Polícia Militar informou que está empenhada em buscar soluções para as ocorrências. “Temos percebido que os assaltos a motoristas de UBer têm aumentado nos últimos dias. Tem um grupo na PM que está monitorando esses casos”, comenta o capitão Arlindo Albergaria Junior.

Táxis seguem com o serviço

O presidente do Sindicato dos Taxistas de São José dos Campos (SindiTaxi), Carlos Moura, disse que os táxis seguem funcionando normalmente nestes bairros em que a Uber bloqueou. Segundo ele, a falta de identificação dos carros dos aplicativos facilitam a ação de criminosos.

“Já somos experientes, temos um carro diferenciado e que fica até mais fácil a identificação pela PM. De repente, se tiver alguma corrida para um bairro mais afastado durante a madrugada, nem vamos. Nesses aplicativos, muitos começaram agora e não têm experiência”, afirma.

“Sofremos bastante com assaltos, mas temos o suporte da própria polícia e da rádio táxi, que sabe para onde estamos indo e qualquer coisa damos um sinal. Mas nunca chegamos a tomar uma decisão de bloquear uma área”, complementa.

Uber confirma

O Meon procurou a Uber que informou, por meio de nota, que a missão do aplicativo é oferecer transporte acessível a todas as pessoas em todos os lugares, ao toque de um botão. No entanto, "há alguns locais específicos em que o nosso serviço não está disponível no momento devido a questões de segurança pública".