Por FolhaPress Em Brasil Atualizada em 12 NOV 2020 - 08H57

Covas derrota todos os rivais em simulações de segundo turno, aponta Datafolha

Após mandado de segurança do Datafolha no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de SP, a publicação foi autorizada na noite desta quarta (11)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, Bruno Covas, é favorito em todas as simulações de segundo turno feitas pelo Datafolha.

Contra Guilherme Boulos (PSOL), Covas registra 56%, ante 30% do adversário. Para 12%, o voto em branco ou nulo é melhor opção. Quando o cenário foi simulado em 3 e 4 de novembro, os índices eram semelhantes, 54% a 32%.

Na disputa entre o prefeito e o deputado Celso Russomanno (Republicanos), Covas leva a melhor a esta altura com 59%, ante 25%. Votam branco ou nulo 15%.

Na rodada anterior, o índice era de 57% a 27%, mas, como na disputa geral, houve uma inversão de curva: em 21 e 22 de setembro, Russomanno tinha 46% e Covas, 40%.

Já se os adversários no segundo turno forem Covas e o ex-governador Márcio França (PSB), houve uma mudança mais significativa em relação à pesquisa anterior.

O tucano ampliou sua pontuação de 48% para 53%, tecnicamente dentro da margem de erro, mas com indicação de alta.

O pessebista viu sua intenção ir de 39% para 34%, na mesma proporção. Votam nulo ou branco 11%.

Essa diferença vai contra a avaliação de integrantes do PSDB de que França seria um adversário mais perigoso no segundo turno, assim como o fato de ele não aparecer como a principal segunda opção de seus rivais diretos.

Por outro lado, avaliam tucanos, ele teria mais facilidade em estabelecer um diálogo com eleitores mais suscetíveis à polarização à esquerda ou à direita.

Após mandado de segurança do Datafolha no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de SP, a publicação foi autorizada na noite desta quarta (11) pelo juiz Afonso Celso da Silva.

O Datafolha ouviu 1.512 eleitores nos dias 9 e 10 de novembro, e a margem de erro é de três pontos percentuais. O nível de confiança utilizado é de 95%. Encomendada pela Rede Globo e pela Folha de S.Paulo, a pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral com o número SP-05584/2020.

Ao autorizar a publicação da pesquisa, o juiz do TRE-SP Afonso Celso da Silva citou argumento do ministro do TSE Sergio Silveira Banhos, segundo o qual "a Justiça Eleitoral, em regra, busca privilegiar o exercício das liberdades fundamentais, atuando no controle do conteúdo dos quesitos de pesquisas apenas em situações excepcionais de manifesta abusividade".

O magistrado afirma ainda que "tratando-se de institutos consagrados, como são o Ibope, o Datafolha e o Voxpopuli, conforme reconheceu o próprio Supremo Tribunal Federal em voto do ministro Marco Aurélio, eventuais consequências podem ser buscadas no campo patrimonial e penal, sem que se possa tisnar os importantes princípios constitucionais em jogo no caso dos autos".

Na decisão, o juiz Afonso Celso da Silva determinou que a publicação fosse acompanhada do esclarecimento abaixo: "A presente pesquisa se encontra impugnada na Justiça Eleitoral em virtude da alegada ausência, em seus resultados, da consideração do nível econômico dos entrevistados, bem como pela divisão do grau de instrução destes, no plano amostral, ter sido em duas categorias (nível fundamental e médio - 67%; nível superior -33%)."

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por FolhaPress, em Brasil

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.